Topo

Esporte


Governo do ES rebate Esquiva Falcão sobre falta de incetivo a atleta

Retrato do boxeador Esquiva Falcão para a seção "Minha História" - Lucas Lima/UOL
Retrato do boxeador Esquiva Falcão para a seção "Minha História" Imagem: Lucas Lima/UOL

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

24/07/2019 04h00

O governo do Espírito Santo reagiu ao relato feito pelo pugilista Esquiva Falcão e publicado ontem (22) na série Minha História do UOL Esporte. O boxeador abriu o coração falando que faltava comida na infância, que chegou a vender drogas e como deu a volta por cima até ganhar a medalha de prata nas Olimpíadas de Londres. Mas nem assim, o atleta recebeu recompensa ou proposta ao voltar ao Brasil, ocasião que desfilou em carro aberto por Vitória e visitou o palácio do governador.

O secretário de Esportes e Lazer do Espírito Santo, Júnior Abreu, negou que não houve auxílio ao medalhista olímpico. Acrescentou que ele foi incluído no programa de bolsas e recebeu ajuda de custo mensal de R$ 4 mil.

Os pagamentos começaram no ano em que o pugilista ganhou a prata, 2012, e a última parcela foi paga em 2014. No total, ele teria recebido R$ 96 mil. "Eu vejo com muita surpresa uma declaração. Dizer que não receberam é um pouco complicado. A gente pegou no financeiro da secretaria e tem o valor pago mês a mês", afirmou o secretário.

Lucas Lima/UOL
Imagem: Lucas Lima/UOL

Esquiva Falcão se manifestou por meio de uma nota enviada por sua assessoria de imprensa e confirmou que foi incluído no programa de bolsas do governo capixaba. Mas o texto ressalta que toda a preparação, feita desde a infância, não teve apoio nenhum. Acrescentou que a ajuda ocorreu somente quando era um boxeador consagrado e destaque das Olimpíadas, quando foi escolhido para carregar a bandeira brasileira na cerimônia de encerramento. No relato, ele deixou clara sua frustração ao receber uma estátua como presente pelos feitos esportivos.

"Gostaria de deixar claro que comecei a receber o incentivo do governo estadual após a conquista da medalha olímpica em Londres 2012. A minha formação, como citada na reportagem, foi com bastante dificuldade, assim como a maioria dos atletas amadores do Brasil. Me formei um atleta dentro de casa, com todas as dificuldades", informou Esquiva via assessoria de imprensa.

Ainda assim, o boxeador agradeceu o auxílio recebido do governo do Espírito Santo e ressaltou que sente muito orgulho em representar o Estado natal. Sem interesse em manter polêmicas, Esquiva foca na carreira e espera contar com o apoio da torcida em um momento importante da carreira.

"Por fim gostaria de pedir que o Estado do Espírito Santo volte a me apoiar, pois estou a poucas lutas de conquistar o título mundial de boxe."

Mais Esporte