Topo

Coluna

Campo Livre


Gustavo Fogaça: Por que o Internacional não vence fora de casa?

Ricardo Duarte/Internacional
Jogadores do Inter comemoram gol de Rafael Sóbis Imagem: Ricardo Duarte/Internacional
Gustavo Fogaça

Gustavo Fogaça

Conhecido como Guffo, é comentarista da DAZN Brasil, analista de desempenho e cineasta

2019-06-20T14:47:26

20/06/2019 14h47

A torcida Colorada está de cabelos em pé tentando compreender as razões pelas quais o seu time não consegue ter como visitante o mesmo desempenho que apresenta dentro do Beira-Rio. Será a escalação? Treinador inexperiente? Será a falta de garra? Ou o Inter não consegue jogar longe da sua torcida?

Os números podem nos ajudar a encontrar um diagnóstico mais preciso para isso. Primeiro, o básico: foram 17 partidas como visitante e outras 17 como mandante, em 4 competições diferentes. Em casa, o Inter ficou, na média, 54% do tempo com a bola, e fora de casa, 53%. Ou seja, a posse não foi o problema.

Quando mandante, realizou em média 864 ações por partida com 80% de acerto. De visitante, baixou para 796 ações com 79% de acerto. É normal em casa ser mais proativo. E a taxa de acerto mostra que não houve tanta alteração assim (1%).

"Mas o Inter não ataca quando joga fora de casa!" - você pode estar dizendo. Será mesmo? No Beira-Rio, o Colorado entrou 45 vezes no último terço e 16 vezes na área adversária por jogo, na média. Fora de casa, foram 43 vezes no último terço e 15 dentro da área. Praticamente a mesma coisa!!

É até engraçado que, se usarmos o PPDA, índice de performance que mede a INTENSIDADE defensiva de um time, o Inter foi MAIS intenso fora do que dentro de casa. Sim, o time de Odair Hellmann tem média de 1.69 de visitante contra 1.77 de mandante (quanto maior o valor, menos intenso é o time defensivamente). Loucura.

E na questão das disputas, é bem parelho também: Colorado venceu 44% das disputas no meio campo em casa e fora, a mesma coisa. No último terço, leve diferença: 27% de vitórias em casa contra 25% de visitante. Muito parelho!

A diferença aparece na QUALIDADE das chances criadas. Para isso, o chamado Valor Esperado de Gol (Expected Goal - xG) nos revela a diferença entre o Inter visitante e mandante: média de 1.6xG em casa e 1.3xG de visitante. Isso quer dizer que Inter criou chances para marcar 1.6 gol em casa e 1.3 fora.

Bom, até aí tudo bem. O problema aparece ao ver a média de xG por finalização. E se no Beira Rio a média é de 0.11xG por finalização, fora de casa ela cai para 0.075xG. Traduzindo: na MÉDIA, cada chute a gol colorado em casa tem 11% de chance de gol e fora, 7.5% de chance. É quase a metade!

Tirando os méritos defensivos dos adversários mandantes, o Inter de Odair precisará criar melhores chances quando visitante. Ao menos duplicar a qualidade das chances para que AUMENTE o valor esperado de gol das mesmas. Com a qualidade técnica de seus jogadores, tende a converter essas chances em gols e alcançar os resultados. Pelo menos, é o que os números sugerem.

Mais Campo Livre