Topo

Coluna

Campo Livre


GreNal 421: O que os números projetam para o clássico gaúcho?

André, durante clássico entre Grêmio e Inter - LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
André, durante clássico entre Grêmio e Inter Imagem: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Gustavo Fogaça

Gustavo Fogaça

Conhecido como Guffo, é comentarista da DAZN Brasil, analista de desempenho e cineasta

18/07/2019 13h06

No final da tarde de um sábado (20) de inverno, Grêmio e Internacional se enfrentarão no Beira-Rio em Porto Alegre para o GreNal de número 421. Mais um capítulo na história da maior rivalidade do futebol brasileiro. Ambos estão em momentos diferentes e fica a pergunta: o que os números projetam para o clássico gaúcho?

O Colorado está cinco posições na frente do Tricolor, com apenas dois pontos de diferença. Quem vencer, passa o rival na tabela e isso, para quem conhece a aldeia gaúcha, vale tanto quanto um título.

Neste Brasileirão, ambas equipes gostam de ter a posse de bola, com o Grêmio tendo uma média um pouco maior: 57% x 54%. Durante as partidas, o time de Renato Gaúcho realiza em média 923 ações com 82% de acerto. Já o de Odair Hellmann faz 876 com 80% de acerto.

Isto quer dizer que o Grêmio gosta de ter a bola e de ditar as ações da partida. Mas o Inter, mesmo tendo menos a bola e fazendo menos ações, acerta quase a MESMA quantidade nos jogos. E como o jogo é no Beira-Rio, isso deve ficar mais equilibrado ainda.

Ofensivamente, há muito equilíbrio também. Na média, ambos criam 5 chances de gol por partida, com o Grêmio transformando mais essas chances em gol: 30% x 21%. E a qualidade dessas chances também é bem parelha. Os dois times produzem para marcar 1,4 gol por partida (1.4xG), com uma média de 10% de probabilidade de gol por finalização para cada um.

Além disso, o Grêmio entra em média 45 vezes na área adversária e o Inter, 43. Ambos encaixam o MESMO número de finalizações por ataques posicionais: 7 por partida. Ou seja, na questão ofensiva ninguém é muito superior ao outro.

Defensivamente as coisas não mudam muito. Enquanto o Grêmio cede em média 2 chances de gol aos adversários, o Inter cede o dobro, 4. Mas as chances que o Grêmio cede são melhores para os adversários do que as que o Inter cede: 0,9 xGA x 0,7 xGA.

Isso quer dizer que, enquanto os adversários do Grêmio produzem na média para marcar 0,9 gol por partida, os do Inter conseguem 0,7 gol. O goleiro tricolor tende a trabalhar mais nas partidas do que o colorado, não pela quantidade mas sim pela qualidade das chances cedidas aos adversários.

Pegando o índice PPDA, que mede a intensidade defensiva de uma equipe, também há equilíbrio. O Grêmio tem na média 1,8 ponto contra 1,9 do Inter. Neste índice, quanto maior o valor, MENOS intensa é a equipe defensivamente. Tricolor levemente mais forte.

Desarmes? 60% de aproveitamento para os dois. Disputas? 51% de acerto para ambos. Há muito tempo não se via um GreNal tão equilibrado!

Atenção para os últimos 15 minutos de jogo! Neste período, o Inter marcou 31% dos seus gols no Brasileirão, e o Grêmio fez 42%. É muito grande a chance, frente a um jogo de tanto equilíbrio, da partida ser definida no apagar das luzes.

O GreNal pode mudar completamente a cada cinco minutos. A força mental pesa mais do que em qualquer partida. E quem estiver mais focado e concentrado, pode fazer a diferença quando os números insistem em mostrar duas equipes muito parecidas neste Brasileirão.

Os números são da plataforma InStat.

Mais Campo Livre