UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

A primeira grande zebra do Mundial

Sem a mesma força dos tempos da "Celeste Olímpica", o Uruguai deixou Montevidéu dez dias antes do início da Copa do Mundo. Formada basicamente por jogadores de Nacional e Peñarol, a equipe chegou ao Brasil bastante desacreditada. Nem mesmo os próprios uruguaios apostavam na conquista do título.

Dois meses antes do Mundial, o Uruguai enfrentou o Brasil três vezes pela Copa Rio Branco. A equipe celeste venceu a primeira partida por 4 a 3, mas perdeu os dois seguintes por 3 a 2 e 1 a 0, respectivamente.

Arquivo Folha

Arquivo Folha

Xerife uruguaio
Meia defensivo Obdulio Jacinto Varela, capitão da seleção do Uruguai, mostra tranqüilidade na histórica final contra o Brasil no superlotado estádio do Maracanã

FOTOS DA COPA 50
Mas a sorte logo começou a sorrir para os primeiros campeões mundiais. No sorteio dos grupos, o Uruguai foi beneficiado e caiu no quatro, ao lado apenas da Bolívia. A única partida da chave foi disputada no Mineirão, e os uruguaios venceram por 8 a 0, com gols de Miguez (3), Schiaffino (2), Vidal, Perez e Ghiggia.

Os quatro finalistas foram agrupados em um grupo único com todos jogando entre si. A estréia foi contra a Espanha, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Ghiggia marcou o primeiro gol, aos 29min, mas os espanhóis viraram ainda no primeiro tempo, com dois gols de Barosa. No segundo tempo, o capitão Obdulio Varela garantiu o empate ao Uruguai.

O jogo seguinte foi contra a surpreendente seleção da Suécia, e novamente o Uruguai foi para o intervalo atrás no marcador. Entretanto, dois gols de Oscar Miguez nos últimos 15 minutos fizeram com que os sul-americanos vencessem a partida por 3 a 2.

O Brasil havia vencido os dois primeiros jogos da fase final -massacres sobre Suécia (7 a 1) e Espanha (6 a 1)- e chegou para a partida contra os uruguaios com a vantagem de jogar pelo empate. Mas aconteceu o que ninguém esperava.

Sob os olhares de 174 mil pessoas presentes ao Maracanã, público recorde em Copas, os brasileiros foram surpreendidos. Após sairem na frente, com Friaça, os vizinhos sul-americanos viraram, com gols de Schiaffino e Ghiggia.

Atrás do marcador, o Brasil não conseguiu reagir. A torcida, muda, viu o Uruguai tocar a bola nos minutos finais e sagrar-se bicampeão mundial. Os jogadores da "Celeste", no entanto, tiveram que esperar o desembarque em Montevidéu para comemorar. As ruas brasileras foram tomadas por um silêncio fúnebre.
JOGOS DA SELEÇÃO
02/07/1950 Primeira fase
Uruguai
8 x 0
Bolívia

Uruguai

Máspoli; Matias González, Tejera; Juan Carlos González, Obdulio Varela, Rodriguez Andrade; Ghiggia, Perez, Miguez, Schiaffino, Vidal.
Técnico: Juan Lopez

Bolívia

Eduardo Gutierrez; Achá, Bustamente; Greco, Valencia, Ferrel; Algaranaz, Ugarte, Caparelli, Benigno Gutierrez, Maldonado.
Técnico: Mario Pretto

  • Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte
  • Árbitro: George Reader (ING)
  • Assistentes: Cayetano de Nicola (PAR) e Ramon Azon Roma (ESP)
  • Público: 6.000 pessoas
  • Gols: Miguez (URU) 14min, Vidal (URU) 18min, Schiaffino (URU) 23min, Miguez (URU) 45min do 1º tempo; Miguez (URU) 11min, Schiaffino (URU) 13min, Perez (URU) 18min, Ghiggia (URU) 38min do 2º tempo
09/07/1950 Turno final
Uruguai
2 x 2
Espanha

Uruguai

Máspoli; Matias González, Tejera; Juan Carlos González, Obdulio Varela, Rodriguez Andrade; Ghiggia, Perez, Miguez, Schiaffino, Vidal.
Técnico: Juan Lopez

Espanha

Ramallets; Alonzo, Parra; Juan Gonzalvo, Mariano Gonzalvo, Puchades; Basora, Igoa, Zarra, Molowny, Gainza.
Técnico: Guillermo Eizaguirre

  • Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo
  • Árbitro: Benjamin Griffiths (GAL)
  • Assistentes: Generoso Dattilo ((ITA) e Alfredo Alvarez (BOL)
  • Público: 45.000 pessoas
  • Gols: Ghiggia (URU) 29min, Basora (ESP) 32min e 39min do 1º tempo; Obdulio Varela (URU) 28min do 2º tempo
13/07/1950 Turno final
Uruguai
3 x 2
Suécia

Uruguai

Paz; Matias González, Tejera; Gambetta, Obdulio Varela, Rodriguez Andrade; Ghiggia, Perez, Miguez, Schiaffino, Vidal.
Técnico: Juan Lopez

Suécia

Karl Svensson; Samuelsson, Erik Nilsson; Andersson, Johansson, Gärd; Sundqvist, Palmer, Mellberg, Skoglund, Jönsson.
Técnico: George Raynor

  • Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo
  • Árbitro: Giovanni Galeati (ITA)
  • Assistentes: Cayetano De Nicola (PAR) e Alois Beranek (AUT)
  • Público: 8.000 pessoas
  • Gols: Palmer (SUE) 5min, Ghiggia (URU) 39min, Sundqvist (SUE) 40min do 1º tempo; Miguez (URU) 32min e 40min do 2º tempo
16/07/1950 Turno final
Brasil
1 x 2
Uruguai

Brasil

Barbosa; Augusto, Juvenal; Bauer, Danilo, Bigode; Friaça, Zizinho, Ademir, Jair, Chico.
Técnico: Flávio Costa

Uruguai

Máspoli; Matias Gonzáles, Tejera; Gambetta, Obdulio Varela, Rodriguez Andrade; Ghiggia, Perez, Miguez, Schiaffino, Morán.
Técnico: Juan Lopez

  • Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro
  • Árbitro: George Reader (ING)
  • Assistentes: Ellis (ING) e Mitchell (ESC)
  • Público: 174.000 pessoas (número oficial da Fifa)
  • Gols: Friaça (BRA) 2min, Schiaffino (URU) 21min, Ghiggia (URU) 34min do 2º tempo
 

SELEÇÕES

Goleiros

Gaston Máspoli
12.10.17
Peñarol
Anibal Paz
18.02.18
Nacional

Defensores

Matías González
06.08.25
Cerro
Eusebio Tejera
06.01.22
Nacional
William Martínez
13.01.28
Rampla Juniors
Hector Vilches
14.02.26
Cerro
Obdulio Varela
20.09.17
Peñarol

Meias

Carlos González
22.08.24
Peñarol
Washington Ortuño
Peñarol
Rodolfo Pini
1926
Nacional
Victor Andrade
14.02.27
Central Espanhola
Schubert Gambetta
14.04.20
Nacional

Atacantes

Alcides Ghiggia
22.12.26
Peñarol
Julio Cesar Britos
18.05.26
Peñarol
Julio Pérez
19.06.26
Nacional
Carlos Romero
07.09.27
Danúbio
Oscar Míguez
05.12.27
Peñarol
Juan Schiaffino
28.07.25
Peñarol
Luis Alberto Rijo
28.09.27
Central Espanhola
Juan Burgueño
1923
Danúbio
Ernesto Vidal
15.11.21
Peñarol
Ruben Morán
06.08.30
Cerro

Técnico

Juan López