UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

Lúcio

Lucimar da Silva Ferreira

Arquivo/FI

Nascimento: 
08/05/1978, em Brasília (DF)

.............................................

Peso: 80 kg

.............................................

Altura: 1,88m

.............................................

Clubes: Gama (1996 a 1999); Internacional (1998 a 2000); Bayer Leverkusen-ALE (2000 a 2004); Bayern de Munique (2004 a 2006)

.............................................

Títulos: Campeonato Brasiliense (1997); Campeonato Alemão (2005); Copa da Alemanha (2005, 2006); Copa do Mundo (2002); Copa das Confederações (2005)

.............................................

Copas: 2 (2002 e 2006)

Lúcio foi um dos poucos que alcançaram vitórias pessoais na Copa. Teve boas atuações, mostrou raça e estabeleceu um novo recorde de minutos sem cometer faltas em Mundiais: 386 minutos, três a mais que o alcançado pelo zagueiro paraguaio Gamarra na Copa de 1998. Lúcio só cometeu uma única falta nas cinco partidas do Brasil, na derrota para a França nas quartas-de-final. Raçudo, valente, líder natural e campeão do mundo com a seleção em 2002, Lúcio chamou a responsabilidade em vários momentos. Como no jogo contra Gana: numa bola recuperada pela defesa, Émerson vacilou e Lúcio tirou a bola dele para avançar e iniciar a jogada do segundo gol brasileiro, feito por Adriano.

Na Alemanha há seis anos, Lúcio desfruta de muito respeito. A revelação do Internacional chegou ao futebol europeu para defender o Bayer Leverkusen. Anos depois, foi "promovido", se transferindo para o Bayern de Munique, uma potência no continente.

Lúcio chega à Copa de 2006 para conseguir façanha de poucos zagueiros na história do futebol brasileiro: ser titular da seleção em dois Mundiais seguidos.

Em 2002, formou trio defensivo eficaz ao lado de Roque Júnior e Edmílson. Nem mesmo a falha nas quartas-de-final contra a Inglaterra, quando "deu passe" para um gol de Michael Owen, comprometeu seu desempenho no geral.

Apesar de jogar na zaga, Lúcio tem a incontrolável mania de se lançar para o ataque, entusiasmando e assustando a torcida.

Mas raramente o seu esforço resulta em gol. Em boa parte das vezes, termina em um perigoso contra-ataque adversário. Apesar disso, o brasiliense Lúcio é era dos ídolos da galera colorada, pela garra e determinação com que atua.

Em 2000, foi convocado pelo técnico da seleção brasileira, Vanderlei Luxemburgo, para a Olimpíada. O jogador se transformou em titular da equipe olímpica, e sua garra era visivel. Nas quartas-de-final, quando o Brasil perdeu para Camarões, Lúcio se irritou com o atacante Roger e lhe deu uma cabeçada.

O começo de Lúcio no futebol profissional aconteceu em 1996, no Gama, em sua terra natal. Depois, o jogador teve a chance de se transferir para o Internacional, onde brilhou e ganhou projeção nacional.

     

Veja também os ídolos de copas passadas

SELEÇÕES

Graphic News

4-2-2-2

Área

8.514.876,599 km²

População

185.925.088

Idioma

Português

Capital

Brasília

Moeda

Real