! Brasil enfrenta Austrália, Croácia e Japão na 1ª fase da Copa - 09/12/2005 - Esporte - Copa do Mundo
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  09/12/2005 - 19h06
Brasil enfrenta Austrália, Croácia e Japão na 1ª fase da Copa

Daniel Tozzi
Enviado especial do UOL
Em Leipzig (Alemanha)

GRUPOS DA COPA DO MUNDO
GRUPO A: Alemanha, Equador, Polônia, Costa Rica
GRUPO B: Inglaterra, Paraguai, Suécia, Trinidad e Tobago
GRUPO C: Argentina, Costa do Marfim, Holanda, Sérvia e Montenegro
GRUPO D: México, Angola, Portugal, Irã
GRUPO E: Itália, Gana, República Tcheca, Estados Unidos
GRUPO F: Brasil, Austrália, Croácia, Japão
GRUPO G: França, Togo, Suíça, Coréia do Sul
GRUPO H: Espanha, Tunísia, Ucrânia, Arábia Saudita
O caminho do Brasil na Copa do Mundo do próximo ano já tem os primeiros passos traçados. O sorteio realizado nesta sexta-feira, em Leipzig, definiu as seleções de Austrália, Croácia e Japão como primeiras adversárias dos atuais campeões mundiais na primeira fase da competição na Alemanha.

A seleção de Carlos Alberto Parreira estréia em 13 de junho, quatro dias depois da abertura oficial da Copa, contra a Croácia, no estádio Olímpico de Berlim.

Cinco dias depois o Brasil encara a Austrália, no Alianz-Arena, em Munique. A última partida na primeira fase acontece em 22 de junho, contra o Japão no estádio Westfalen, em Dortmund.

Todos os adversários da primeira fase jamais passaram pelo caminho da seleção brasileira na história das Copas. Japoneses e croatas disputam o Mundial pela terceira vez. Os australianos, por sua vez, vão à competição pela segunda oportunidade.

Fernando Santos/FI
A Argentina deu azar e, mais uma vez, está em um "grupo da morte" em uma Copa do Mundo
Dos oponentes do Brasil na primeira fase, a Croácia é a que tem o melhor retrospecto em Mundiais. Na estréia em Copas, em 1998, os croatas conseguiram um surpreendente terceiro lugar.

Contra o Japão, o Brasil terá como adversário um antigo ídolo de Copas passadas. Zico, membro da seleção nacional em três Mundiais (1978, 1982 e 1986) é o técnico que comandará a campanha japonesa na Alemanha.

"Não tem muito o que escolher. O Japão vai para sua terceira Copa seguida e vai muito bem com o trabalho do Zico. A Austrália eliminou o Uruguai e tem todos os titulares jogando na Europa. A Croácia tem um jogo de força e velocidade. Temos que ficar alertas para não sermos surpreendidos. Temos que impor nosso futebol", afirmou Parreira, em entrevista a ESPN Brasil, após o sorteio.

Se confirmar a classificação para as oitavas-de-final como uma das duas melhores equipes de sua chave, a seleção brasileira irá enfrentar um representante do grupo E, que contém a Itália como cabeça-de-chave, além de Gana, República Tcheca, e Estados Unidos.

CROÁCIA, MAIOR DESAFIO

Na 20ª posição do ranking de seleções da Fifa e com uma boa campanha nas eliminatórias européias, a Croácia desponta como principal adversário do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo. As seleções se enfrentam logo na estréia, no dia 13 de junho, em Berlim.

Em agosto, Brasil e Croácia se enfrentaram em partida amistosa em Split (foto). Em confronto equilibrado, o placar final apontou empate por 1 a 1. Ricardinho marcou para a seleção. Leia mais
A Copa do Mundo começa no dia 9 de junho, com a anfitriã Alemanha estreando contra a Costa Rica no estádio Alianz-Arena, em Munique, em confronto válido pelo grupo A.

A decisão, no 64º e último jogo do Mundial, acontece no dia 9 de julho no estádio Olímpico de Berlim, arena usada nos Jogos Olímpicos de 1936 e totalmente modernizada para a Copa.

Grupo da morte
O sorteio da Copa tem como finalidade distribuir equilíbrio entre as oito chaves da primeira fase, mas, tradicionalmente, existe sempre um grupo mais forte, levando em consideração como critérios o histórico das seleções em Mundiais e sua colocação no ranking da Fifa.

Nesta edição, o "grupo da morte" da Copa é, na teoria, o C, que reúne as seleções de Argentina, Holanda Sérvia e Montenegro e Costa do Marfim.

Os argentinos, que caíram na primeira fase no último Mundial, enfrentando Inglaterra, Suécia e Nigéria, novamente têm missão complicada na primeira fase. Em 2006, mais uma vez os bicampeões mundiais começam com o favoritismo na chave para ir às oitavas-de-final.

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
28/02/2006
Mais Notícias