UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

12/07/2006 - 07h33

Klinsmann decide sair da seleção alemã

Das agências internacionais
Em Berlim (Alemanha)

EFE

Crédito

Low (e) foi homem de confiança de Klinsmann no Mundial

"Não foi uma decisão fácil". Deste modo, o técnico Juergen Klinsmann anunciou nesta quarta-feira que não continuará no comando da seleção alemã, depois de liderar a equipe à terceira colocação na Copa do Mundo e ser aclamado por um país inteiro.

Seu assistente técnico no Mundial, Joachim Low, foi efetivado como o novo treinador da equipe.

Klinsmann lutou para conter suas lágrimas na entrevista coletiva, em Frankfurt. "Gostaria de agradecer a todos pelos dois anos emocionantes e maravilhosos que tive", disse o ex-atacante, aos 41 anos.

Antes do torneio, Klinsmann enfrentou duras críticas. A Alemanha não rendeu bem em amistosos contra grandes adversários e foi para a Copa cercada de desconfiança.

MISSÃO CUMPRIDA NA ITÁLIA

O treinador da seleção italiana de futebol, Marcello Lippi, anunciou nesta quarta-feira, três dias após ganhar a Copa do Mundo, que deixa o cargo porque "encerrou" seu trabalho.
Leia mais

Mas o time agregou forças para alcançar a semifinal do torneio (eliminando a Argentina nas quartas-de-final), fase na qual foi derrotado pela campeã Itália. A campanha, no final, tornou o treinador uma figura aclamada na Alemanha.

Klinsmann afirmou que pretende passar mais tempo com sua família, que vive na Califórnia, nos Estados Unidos, e que vai tirar férias de seis meses antes de pensar em um novo cargo. "Estou exausto", disse.

Low, ex-meio-campista e técnico no Campeonato Alemão de 46 anos, foi o homem de confiança de Klinsmann em sua passagem pela seleção. Ele assinou um contrato de dois anos para chefiar a equipe, prometendo manter a filosofia de seu antecessor.

"Esta é a única maneira de conseguirmos fiar entre os melhores do mundo", afirmou.

SELEÇÕES