UOL Esporte Olimpíadas de Inverno
 
11/02/2010 - 07h00

Canadá monta Dream Team para apagar desastre do hóquei de Turim-2006

Do UOL Esporte
Em São Paulo

Em 2006, o Canadá, como sempre, entrou como favorito para a conquista da medalha de ouro no hóquei sobre gelo dos Jogos Olímpicos de Turim. O resultado, 7º lugar, foi um desastre para um time que defendia a medalha de ouro das Olimpíadas de 2002 – e tinha no elenco oito jogadores que já tinham vencido a Stanley Cup (a grande final da NHL, a liga profissional do esporte).

Em 2010, os canadenses voltam com força total e, novamente, montam um “Dream Team”, nos moldes do feito pelos EUA no basquete. A grande estrela do time é Sidney Crosby, o garoto que chegou à NHL como o salvador do esporte. Atualmente, ele é o segundo maior artilheiro da liga, com 39 gols, e o terceiro em pontos (estatística que combina gols e assistências), com 74.

Comandado pelo capitão do Pittsburgh Penguins, o ataque canadense é um dos mais fortes já formados. Somando apenas as estatísticas da atual temporada da NHL, o time tem cinco dos 20 maiores artilheiros da liga (Crosby, Patrick Marleu, Danny Heatley, Rick Nash, Jarome Iginla e Corey Perry), 3 dos 10 melhores em assistência (Crosby, o líder nessa estatística Joe Thornton e Ryan Getzlaf) e 5 dos 20 primeiros em pontos (Crosby, Thornton, Heatley, Marleau e Perry).

Além disso, a defesa é formada apenas por estrelas. Dos 15 defensores que mais marcaram pontos na temporada, cinco fazem parte do time canadense. No gol, Martin Brodeur e Marc-Andre Fleury dividem a vice-liderança da NHL como os menos vazados. O Canadá até mesmo se deu o luxo de deixar o terceiro melhor em assistências (Brad Richards), o quinto artilheiro (Steven Stambros), o defensor que mais pontos marcou (Mike Green) e o segundo colocado em plus/minus (Mike Green), de fora da equipe.

O desafio, porém, é fazer com que tantas estrelas se transformem em um time – justamente o que não aconteceu em 2006, quando a seleção contava com oito medlahistas de ouro de 2002, oito campeões da Stanley Cup e oito atletas que eram capitães de seus times na NHL.

Os desafiantes principais são a Rússia, do prodígio Alexander Ovechkin. O jogador do Washington Capítals é o líder em pontos e gols da temporada e, em 2006, marcou um dos gols que eliminou o Canadá dos Jogos de Turim. Além dele, a Rússia conta ainda com Alexander Semin (9º em gols), Evgeny Malkin (14º em pontos) e Illya Kovalchuk (15º em pontos) – além do goleiro Evgeny Nabokov, terceiro da NHL em média de defesas.

Atual campeã, a Suécia aposta em Henri Sedin. Ele é o segundo em pontos da liga, atrás apenas de Ovechkin, segundo em assistências, 12º em gols e o 8º em plus/minus. Além dele, o time tem ainda Nicklas Backstrom, terceiro maior assistente da liga e Daniel Sedin, 9º em plus/minus.

Correndo por fora, os EUA montaram um time jovem para tentar um segundo “milagre no gelo” – como ficou conhecido o time de 1980, campeão olímpico em Lake Placid, interrompendo uma série de quatro ouros seguidos da União Soviética.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host