Esporte

Seleção de hóquei unificada das Coreias é usada para Kim Jong-un pedir paz

AFP/KNCA via KNS
O líder norte-coreano Kim Jong-Un quer a paz entre as Coreias Imagem: AFP/KNCA via KNS

Do UOL, em São Paulo*

25/01/2018 09h46

A decisão das Coreias do Sul e do Norte de formar uma equipe conjunta para a disputa do torneio feminino de hóquei no gelo nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang é usada pelo líder Kim Jong-un como um pedido de paz entre os dois países.

“Vamos fazer uma campanha forte para apaziguar as tensões militares exacerbadas e criar um clima pacífico na península coreana. Temos que pôr fim à desconfiança e à incompreensão mútua para multiplicar contatos e trocar”, disse Kim em uma carta publicada “para todos os coreanos”.

Além de formar uma única seleção de hóquei feminino, as Coreias concordaram em desfilar juntas sob uma bandeira unificada na cerimônia de abertura dos Jogos sul-coreanos, segundo comunicado conjunto divulgado pelo Ministério de Unificação da Coreia do Sul.

Doze jogadoras norte-coreanas de hóquei no gelo se uniram nesta quinta-feira a suas colegas sul-coreanas para formar uma equipe unificada, pela primeira vez em quase três décadas, nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang.

As atletas, que usavam roupas com as siglas "DPR Korea" - nome oficial da Coreia do Norte - entraram no Sul depois de atravessar a fronteira perto de Kaesong, a zona industrial que as duas Coreias administraram em conjunto até 2016.

Depois seguiram para Jincheon, onde treinarão com as novas colegas de time para a competição que começa em 9 de fevereiro.

As norte-coreanas foram recebidas com flores pelas atletas sul-coreanas. "Estou feliz com a união do Norte e Sul para esta competição", afirmou o técnico norte-coreano Pak Chol Ho.

A ideia de formar uma equipe unificada provocou polêmica na Coreia do Sul, onde algumas pessoas acusaram o governo de Seul de sacrificar o sonho olímpico de alguns atletas do país por motivos políticos.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-In, nunca escondeu o desejo de transformar o evento de Pyeongchang nos "Jogos da Paz", uma forma de reduzir a tensão provocada nos últimos meses pelos programas balístico e nuclear do regime norte-coreano.

Políticos sul-coreanos aumentaram a polêmica quando, para justificar a decisão, afirmaram que a equipe feminina não tem chances de medalha.

A controvérsia abalou a popularidade de Moon, que registrou o menor nível, 60%, desde que ele assumiu a presidência em maio de 2017.

As 12 norte-coreanas formarão a equipe com as 23 sul-coreanas convocadas para a competição, após um acordo entre as duas Coreias e o Comitê Olímpico Internacional (COI).

Esta é a primeira equipe intercoreana desde 1991, quando atletas do tênis de mesa dos dois países disputaram o Mundial no Japão e uma equipe conjunta de futebol disputou o Mundial Sub-20 em Portugal.

A Coreia do Norte, que boicotou os Jogos Olímpicos de Seul-1988, enviará outros 10 atletas a Pyeongchang.

*Com informações da agência AFP

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo