Fórmula 1

10 perguntas a serem respondidas na Fórmula 1 na temporada 2017

Do UOL, em São Paulo

05/01/2017 11h27

A Fórmula 1 tem vivido férias muito mais agitadas que de costume. A aposentadoria do campeão Nico Rosberg agitou a 'dança das cadeiras' do mercado, mas o nome do substituto é apenas uma das várias dúvidas que têm marcado este início de ano.

Os primeiros carros serão lançados no final de fevereiro, dias antes do início dos testes de pré-temporada, dia 27. Já a temporada começa com o GP da Austrália, dia 26 de março. Confira abaixo as 10 perguntas que rondam a categoria para esta temporada.

10 perguntas a serem respondidas na F-1 em 2017

  • Quem vai ocupar a vaga de Nico Rosberg?

    Já se passou um mês desde que o atual campeão do mundo anunciou a aposentadoria de forma surpreendente e a Mercedes ainda não anunciou seu substituto. Tudo indica que será Valtteri Bottas, que ganharia uma chance de ouro após quatro anos na Williams. Mas por que tanta demora?

  • Massa vai voltar?

    A resposta da primeira pergunta leva à segunda. O brasileiro concordou em retornar à Williams, pouco tempo depois de ter feito oficialmente a despedida no GP de Abu Dhabi, em novembro. Mas tudo depende do que Bottas vai fazer. Em teoria, o finlandês é o dono da vaga.

  • Quem pode acabar com o domínio da Mercedes?

    A Ferrari, como de costume, promete um carro radicalmente diferente, mas a tática não tem funcionado nos últimos anos. Quem aparece como grande candidata a ameaçar os tricampeões do mundo é a Red Bull, que se deu bem na última mudança de regulamento que focou mais a parte aerodinâmica, em 2009. Mas há quem aposte que, como pôde se debruçar no projeto de 2017 bem cedo devido ao domínio do ano passado, a Mercedes seguirá no topo.

  • Como será o visual dos novos carros?

    Com o aumento das asas em 25%, devemos ver carros mais agressivos, como os da primeira metade da década de 2000. Ao mesmo tempo, eles devem ser mais limpos que aqueles carros, sem aletas aerodinâmicas, remetendo a um visual mais clássico.

  • Nasr terá lugar no grid?

    O brasileiro teve uma boa notícia com a confirmação de que Rio Haryanto perdeu seu grande patrocinador e virou carta fora do baralho na Manor. Lutando por uma das últimas vagas do pelotão, o piloto depende de apoio financeiro. Mas também é fato que não estão sobrando muitos pilotos experientes sem contrato e isso pode ser importante em um ano de mudança de regras.

  • A promessa de 5s a mais por volta se tornará realidade?

    A ideia da adoção do novo regulamento era tornar a F-1 mais rápida e agressiva e o número que se tornou obsessão para os engenheiros foi de 5s por volta. Em novembro, Valtteri Bottas explicou que, pelo menos nas simulações da Williams, o objetivo não tinha sido totalmente obtido: ?Depende do circuito. Em alguns chega a 5s, mas em outros com a volta mais curta, como Monza, não passa de 2s.?

  • Relação entre Ferrari e Vettel vai melhorar ou azedar de vez?

    O primeiro ano de Vettel na Ferrari foi uma verdadeira lua de mel. Em 2016, com a queda de performance do time, o alemão deixou clara sua frustração - e muitas vezes a descontou reclamando de outros pilotos. Com um novo regulamento em 2017, o tetracampeão espera que o time renasça. Caso contrário, pode fazer sua última temporada em Maranello, pois seu contrato acaba ao final deste ano.

  • O que Verstappen vai aprontar?

    Ele venceu logo na primeira corrida na Red Bull, na quinta etapa de 2016, e foi um dos destaques do campeonato, envolvendo-se em polêmicas e protagonizando grandes manobras. Em sua primeira temporada completa em um time grande, o holandês de 19 anos deve travar um duelo equilibrado com Daniel Ricciardo, que fez uma temporada muito consistente ano passado.

  • Renault e Honda vão reagir?

    As duas fabricantes de motores prometeram modificar completamente seus projetos para 2017 e agora contam com liberdade total no regulamento para recuperar o terreno perdido para Ferrari e, especialmente, Mercedes.

  • Filho de bilionário é bom mesmo ou só marketing?

    Comprar uma vaga na F-1 é de praxe, mas Lance Stroll estreia na Williams sob muita desconfiança devido à maneira como sua carreira foi construída. O canadense vem de um título fácil na F-3, em uma equipe comprada e equipada pelo pai e companheiros pouco competitivos. Agora, o piloto de 18 anos passa por uma preparação, também bancada pelo bilionário Lawrence Stroll, sem comparações na história recente da categoria e garante que vai calar os críticos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Topo