Topo

Fórmula 1

Mercedes compra Brawn GP e vende a sua parte da McLaren

Do UOL Esporte

Em São Paulo

16/11/2009 09h52

A montadora Mercedes-Benz confirmou que vai vender a sua participação na equipe McLaren, ao mesmo tempo em que vai comprar a Brawn GP, campeã do último Mundial de Fórmula 1. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa nesta segunda-feira em Frankfurt, na Alemanha. A Mercedes passará a ter 75,1% das ações da Brawn, mas os valores da negociação não foram divulgados.

  • AP

    Este é o provável novo modelo do carro, exibido no site oficial da Daimler, dona da Mercedes. A empresa deixou o esporte no final de 1955, após um de seus carros sofrer um acidente nas 24 Horas de Le Mans, matando 82 espectadores em um dos maiores desastres da história do esporte a motor. A Mercedes só voltou às corridas em 1988, e à Fórmula 1 em 1994, como fornecedora de motores.

De acordo com o presidente Dieter Zetsche, a equipe vai passar a se chamar “Mercedes GP”, assim como nos campeonatos em que a montadora competiu sob seu próprio nome, em 1954 e 1955, quando conquistou dois títulos mundiais com o argentino Juan Manuel Fangio.

A Mercedes da década de 50 tem uma trajetória parecida com a da Brawn GP, que na última temporada fez uma campanha impecável logo no seu ano de estreia. Em suas únicas duas participações, em 1954 e 1955, a equipe da montadora foi campeã com Fangio e, em 12 corridas disputadas, venceu nove.

Esse retorno definitivo marca uma postura contrária à de outras fabricantes como Honda, BMW e Toyota, que recentemente abandonaram a categoria.

“A Mercedes vai competir no Mundial de Fórmula 1 do próximo ano com sua própria equipe de fábrica”, disse Dieter Zetsche.

O time foi montado pelo engenheiro Ross Brawn a partir do espólio da Honda, que anunciou a sua saída da categoria antes da última temporada, e entrou no campeonato com um projeto de baixo custo e dois pilotos que, por pouco, não ficaram sem assento na Fórmula 1. Mas surpreendeu a todos e assegurou o título do Mundial de Construtores, além de fazer do inglês Jenson Button o campeão entre os pilotos, com Rubens Barrichello em terceiro lugar.

“Ross Brawn vai continuar como chefe de equipe e, assim, estamos mantendo a sua força. A nova equipe Mercedes-Benz GP será coordenada pela Mercedes-Benz Motorsport que, como todos sabem, é dirigida por Norbert Haug”, falou Zetsche.

BLOGUEIROS DO UOL ESPORTE
Crédito
Seixas: "Para a F-1, é uma bomba. Um retorno histórico"
Crédito
Téo José: "Agora a Brawn vai poder continuar com um time competitivo"
BLOG DO FÁBIO SEIXAS
BLOG DO TÉO JOSÉ

A equipe continuará sediada em Brackley. Ross Brawn disse que não poderia imaginar uma parceria como essa há 11 meses, quando a Honda anunciou sua saída da Fórmula 1, fazendo a equipe passar por um inverno de incertezas, que culminou na criação da Brawn GP.

“Em nome de todos na Brawn, estamos honrados em representar uma marca tão representativa quanto a Mercedes-Benz na Fórmula 1 no ano que vem. Vamos trabalhar juntos e fazer o máximo para justificar a confiança que depositaram no nosso time”, disse Ross Brawn.

Como a Brawn usou os motores Mercedes para chegar ao título, a montadora passou a se interessar pelo projeto. Agora, a marca anuncia oficialmente a compra de 75,1% das ações da equipe e o fim da sociedade com a McLaren, que começou em 1995 e resultou na conquista de três títulos mundiais de pilotos e um de construtores.

Por outro lado, o contrato de cessão de motores com a McLaren será renovado por mais seis anos. Mas, com a mudança de foco da Mercedes para a Brawn GP, a equipe vai comprar de volta os 40% de ações que pertenciam ao grupo Daimler, que detém a montadora. Essa transação será feita aos poucos e deverá ser concluída em 2011.