UOL Esporte Fórmula 1
 
14/01/2010 - 12h06

Alonso critica limitação de treinos e compara F-1 a outros esportes

Das agências internacionais
Em Madonna di Campiglio (Itália)
  • Para Alonso, proibição do reabastecimento e novo sistema de pontos não trarão grandes mudanças

    Para Alonso, proibição do reabastecimento e novo sistema de pontos não trarão grandes mudanças

Em entrevista coletiva realizada durante o evento anual da Ferrari em Madonna di Campiglio, nos alpes italianos, o espanhol Fernando Alonso criticou a limitação de treinos para a temporada 2010 da Fórmula 1. As equipes terão apenas 15 dias de testes em pistas espanholas durante o mês de fevereiro, antes da primeira corrida, dia 14 de março, no Bahrein.

Para Alonso, essa limitação “não é boa”, e o piloto comparou a Fórmula 1 com outras modalidades esportivas. “Não existe um esporte em que não se treine antes de um campeonato. Seria um absurdo se antes de começar Roland Garros ou a Copa do Mundo de futebol os treinamentos fossem limitados a seis dias. É raro, mas nosso esporte é assim”, comentou o espanhol.

Com relação ao seu desempenho na temporada, o asturiano disse que precisará de tempo para render o máximo possível. “Teremos sete ou oito dias de testes em fevereiro, e talvez não esteja totalmente adaptado ao carro e à equipe até as primeiras três ou quatro corridas. Até lá, ainda não estarei no meu máximo”, falou Alonso.

O bicampeão não considera que os testes que Michael Schumacher está fazendo com um carro de GP2 em Jerez de la Frontera sejam uma vantagem para o alemão. “[Os testes] não são uma referência, apesar de serem bons para ele, para retomar a sensibilidade”, disse.

Além de falar sobre a limitação de treinos, Alonso também comentou o novo sistema de pontuação da categoria, que ainda depende de aprovação da FIA para entrar em vigor e deve sofrer alterações antes do início da temporada. “No final, vai mudar pouca coisa. Quem vencer mais será o campeão mundial”, falou o espanhol.

Alonso acredita que a proibição do reabastecimento durante as corridas não será uma grande mudança para os pilotos. “As estratégias serão muito iguais. É preciso fazer um bom trabalho na classificação e controlar o consumo, algo em que a Shell [fornecedora de combustível da Ferrari] está trabalhando muito, para obter uma gasolina mais eficiente”, disse o piloto.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host