Topo

Fórmula 1


Lotus apresenta novo carro em clima retrô e fala em ajustes

Das agências internacionais

Em Londres (ING)

12/02/2010 16h00

A Lotus apresentou, nesta sexta-feira, seu carro para a disputa da temporada 2010 de Fórmula 1. A pintura remonta ao tradicional verde escuro da escuderia, que relembra o passado de conquistas na categoria e projeta um ano complicado com o investimento malaio.

  • Divulgação

    Novo carro da Lotus tem estilo retrô e o verde-escuro que caracterizou a época de ouro da marca

“Eu não posso expressar em palavras o que eu estou sentindo. É um trabalho maravilhoso conseguir a licença da Fórmula 1 e apresentar esse carro hoje [sexta-feira]”, disse Tony Fernandes, investidor da Malásia que adquiriu os direitos de uso da marca Lotus e é o chefe da nova equipe.

O desenho do carro não é exatamente uma surpresa. A pintura tradicional já havia sido revelada pelo site inglês AutoSport no início da semana, em um teste feito pela própria Lotus na Inglaterra.

O resultado, porém, contraria a ideia inicial, divulgada ainda em 2009, de fazer um carro mais colorido, com predominância de vermelho e amarelo. Em seu pronunciamento oficial, Fernandes preferiu exaltar a história da escuderia, que está fora da Fórmula 1 desde 1994, a apostar na modernidade.

“Nós sabemos que temos um enorme peso nas nossas costas, com os gigantes que já passaram por aqui, como [Jim] Clark, [Stirling] Moss, [Graham] Hill e [Nigel] Mansell. Temos uma grande jornada à nossa frente, e estamos honrados de fazer parte da história”, concluiu o dirigente, em entrevista ao AutoSport.

A animação, porém, não impede a Lotus de manter a cautela. O time anglo-malaio é apenas o segundo novato a apresentar seu carro, já que Campos e USF1 ainda não sabem se vão alinhar no Bahrein, na primeira prova do ano. Só que até a Virgin, que foi a primeira a ir para a pista e está participando dos testes coletivos em Jerez, vem tendo dificuldades.

A equipe do brasileiro Lucas di Grassi conseguiu completar poucas voltas no circuito espanhol porque teve problemas com o bico de seu carro. Quando concluiu tempos rápidos, ficou pelo menos cinco segundos atrás dos demais concorrentes.

Por isso, a Lotus admite que ainda precisa de alguns ajustes. “Nós estamos em boa forma. Temos de melhorar parte do nosso carro no túnel de vento, mas isso virá com o tempo”, disse Mike Gascoyne, diretor-técnico da equipe.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!