UOL Esporte Fórmula 1
 
12/03/2010 - 13h54

FIA defende adoção de regra de limite de tempo que tiraria Senna do GP do Bahrein

Do UOL Esporte
Em São Paulo
  • <STRONG>OS TEMPOS DESTA SEXTA-FEIRA</STRONG><BR> 1. Nico Rosberg (Mercedes) - 1min55s409 <br>2. Lewis Hamilton (McLaren) - 1min55s854 <br>3. Michael Schumacher (Mercedes) - 1min55s903 <br>4. Jenson Button (McLaren) - 1min56s079 <br>5. Sebastian Vettel (RBR) - 1min56s409 <br>6. Nico Hulkenberg (Williams) - 1min56s501 <br>7. Felipe Massa (Ferrari) - 1min56s555 <br>8. Adrian Sutil (Force India) - 1min56s583 <br>9. Vitaly Petrov (Renault) - 1min56s750 <br>10. Fernando Alonso (Ferrari) - 1min56s766 <br>11. Robert Kubica (Renault) - 1min57s041 <br>12. Vitantonio Liuzzi (Force India) - 1min57s194 <br>13. Pedro de la Rosa (BMW Sauber) - 1min57s255 <br>13. Mark Webber (RBR-Renault) - 1min57s255 <br>15. Kamui Kobayashi (BMW) - 1min57s352 <br>16. Rubens Barrichello (Williams) - 1min57s452 <br>17. Jaime Alguersuari (STR) - 1min57s722 <br>18. Sebastien Buemi (STR) - 1min58s399 <br>19. Heikki Kovalainen (Lotus) - 2min00s873 <br>20. Jarno Trulli (Lotus) - 2min00s990 <br>21. Timo Glock (Virgin) - 2min02s037 <br>22. Lucas di Grassi (Virgin) - 2min02s188 <br><i>23. Bruno Senna (HRT) - 2min06s968 <br>24. Karun Chandhok (HRT) - sem tempo</i><br><i>Em Itálico, carros fora dos 107%</i>

    OS TEMPOS DESTA SEXTA-FEIRA
    1. Nico Rosberg (Mercedes) - 1min55s409
    2. Lewis Hamilton (McLaren) - 1min55s854
    3. Michael Schumacher (Mercedes) - 1min55s903
    4. Jenson Button (McLaren) - 1min56s079
    5. Sebastian Vettel (RBR) - 1min56s409
    6. Nico Hulkenberg (Williams) - 1min56s501
    7. Felipe Massa (Ferrari) - 1min56s555
    8. Adrian Sutil (Force India) - 1min56s583
    9. Vitaly Petrov (Renault) - 1min56s750
    10. Fernando Alonso (Ferrari) - 1min56s766
    11. Robert Kubica (Renault) - 1min57s041
    12. Vitantonio Liuzzi (Force India) - 1min57s194
    13. Pedro de la Rosa (BMW Sauber) - 1min57s255
    13. Mark Webber (RBR-Renault) - 1min57s255
    15. Kamui Kobayashi (BMW) - 1min57s352
    16. Rubens Barrichello (Williams) - 1min57s452
    17. Jaime Alguersuari (STR) - 1min57s722
    18. Sebastien Buemi (STR) - 1min58s399
    19. Heikki Kovalainen (Lotus) - 2min00s873
    20. Jarno Trulli (Lotus) - 2min00s990
    21. Timo Glock (Virgin) - 2min02s037
    22. Lucas di Grassi (Virgin) - 2min02s188
    23. Bruno Senna (HRT) - 2min06s968
    24. Karun Chandhok (HRT) - sem tempo

    Em Itálico, carros fora dos 107%

O presidente da FIA, o francês Jean Todt, afirmou nesta sexta-feira que vai tentar reintroduzir a regra dos 107% nos treinos da Fórmula 1. Até 2002, todo piloto que fizesse tempos fora desse limite (7% acima do tempo do mais veloz) na sessão de definição do grid, estaria fora da corrida. Se fosse adotada com os tempos desta sexta-feira, o brasileiro Bruno Senna não poderia disputar o GP do Bahrein.

“Somos muito a favor. Essa regra só foi abolida pelas mudanças nos treinos, com a possibilidade de abastecimento e as diferentes estratégias de combustível para o início da corrida”, explicou Todt à Autosport, resssaltando que medida precisaria ser aprovada por unanimidade e só seria usada em 2011.

A declaração foi feita logo depois dos treinos livres em que as três novas equipes da categoria tiveram desempenhos ruins. O pior deles foi Bruno Senna, que, no volante do Hispania, equipe que nunca tinha colocado o carro na pista, foi 11 segundos mais lento do que o mais rápido do dia, Nico Rosberg, da Mercedes.

O brasileiro ficaria fora, com 2min06s968, contra 1min55s409, 10% mais lento. As outras estreantes ficaram dentro do limite. A dupla da Virgin ficou 5% acima de Rosberg, com Lucas di Grassi marcando 2min02s188 e Timo Glock, 2min02s037. Já a dupla da Lótus ficou 4% acima (Heikki Kovalainen fez 2min00s873 e Jarno Trulli, 2min00s990).

O dirigente, porém, evitou críticas aos novos times da categoria. “Você tem de respeitar as novatas que estão chegando à F-1 em um momento econômico tão delicado. Não é hora de criticar, mas de apoiar. O que fizeram hoje foi incrível”.

Asa da McLaren

Todt comentou também as críticas que estão sendo feitas à entidade, sobre os problemas da asa da McLaren. A equipe introduziu uma entrada de ar retrátil, que pode ser acionada pelos pilotos e aumentaria a velocidade em retas. “Eu confio nas pessoas que julgaram o caro”, disse o dirigente.

Nesta sexta-feira, o diretor da Renault, Bob Bell, fez duras críticas à Fia. “Está claro que a asa da McLaren está completamente fora dos padrões e é ridículo que a FIA tenha aprovado. Isso vai custar muito dinheiro a todas as outras equipes”.

Segundo Bell, a decisão pode criar uma nova polêmica de difusores. No ano passado, a Brawn (hoje Mercedes), adotou um sistema de distribuição de ar na traseira que aproveitava um detalhe nas regras para ganhar rendimento. O equipamento foi considerado legal e todos os rivais tiveram de gastar mais dinheiro em desenvolvimento para criar os seus próprios difusores duplos.

Antidoping

Além das questões técnicas, a FIA também está analisando a possibilidade de adotar regras da Wada, a Agência Internacional antidoping. O vice-presidente da entidade, Graham Stoker, disse que a Fórmula 1 deve assinar o Código Mundial Antidoping, incluindo as regras de testes fora de competição.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host