UOL Esporte Fórmula 1
 
25/03/2010 - 09h00

Schumacher sofre com comportamento dos carros em retorno

Tatiana Cunha
Da Folhapress
Em Melbourne (Austrália)

Sete títulos mundiais e outros tantos recordes da F-1 no currículo, Michael Schumacher tem vivido dias de principiante desde que colocou fim à sua aposentadoria, depois de três anos afastado da categoria.

Após o GP do Bahrein, há duas semanas, no qual se disse satisfeito em chegar em sexto, o piloto da Mercedes sabe que cada minuto a mais na pista será fundamental para se readaptar.

Justamente por isso, um bom trabalho nesta quinta, nos primeiros treinos livres para o GP da Austrália, segunda etapa do Mundial, será importante. A principal dificuldade que o alemão encontrou até aqui foi o fato de os carros atuais saírem muito de frente nas curvas -sua preferência sempre foi por sair de traseira.

Esse comportamento dos carros acontece, em parte, por causa do peso que eles têm de carregar atualmente -com o fim do reabastecimento durante os GPs para este ano, o tanque de combustível praticamente dobrou de tamanho.

Outro fator que ajuda os carros a saírem mais de frente agora são os pneus. Com o estreitamento dos compostos dianteiros de 270 mm para 245 mm em 2010, os carros acabam tendo menos aderência na parte frontal, o que gera uma tendência maior de escapar de frente.

Após sofrer no Bahrein, onde acabou todas as sessões de treinos, a classificação e a corrida atrás de Nico Rosberg, seu companheiro de time, Schumacher pediu à equipe que solucionasse o problema.

‘Não podemos construir um novo carro, mas certamente podemos trabalhar com esse modelo em nosso túnel de vento’’, declarou o heptacampeão.

Os engenheiros da Mercedes vêm trabalhando para tentar deixar o W01 mais do jeito que Schumacher, 41, gosta e mexeram, principalmente, na distribuição de peso do modelo. Com os testes durante a temporada proibidos, a resposta só será conhecida nos treinos desta quinta, à partir das 22h30.

Mas, apesar de já ter vencido quatro vezes em Melbourne, o alemão e seus chefes sabem que não será fácil obter o quinto triunfo neste final de semana -a corrida será na madrugada de domingo, às 3h (de Brasília).

‘Agora estamos trabalhando para diminuir a diferença para os líderes’’, declarou Ross Brawn, chefe da Mercedes.
Para Norbert Haug, diretor da Mercedes, o W01 ainda não está pronto para vencer. ‘Espero uma prova bastante desafiadora para nós. Ainda vamos levar algum tempo para nos aproximar dos líderes.’’

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host