UOL Esporte Fórmula 1
 
Claude Paris/AP

Alonso bateu no último treino livre e não pôde disputar posição no grid

15/05/2010 - 14h32

Prejudicada por tráfego e acidente, Ferrari já fala em maldição de Mônaco

Do UOL Esporte
Em São Paulo

TRÂNSITO NAS RUAS DO PRINCIPADO

  • Fred Dufour/AFP

    Felipe Massa atrapalhou e foi atrapalhado durante o treino de classificação. Resultado: quarto lugar

Depois da liderança de Alonso nas sessões livres de quinta-feira, parecia que a Ferrari seria a equipe mais competitiva no treino de classificação do GP de Mônaco. Mas o espanhol bateu e vai largar dos boxes, enquanto o brasileiro Felipe Massa foi atrapalhado pelo tráfego na disputa pela pole e se contentou com um quarto lugar no grid. Tudo isso foi o suficiente para a equipe falar em uma suposta “maldição de Mônaco”.

Na resenha do treino de classificação publicada no site oficial da Ferrari, o título é o seguinte: “Maldição da Ferrari em Mônaco ataca de novo”. De fato, além da má sorte deste sábado, a escuderia não consegue vencer em Monte Carlo desde 2001, quando Michael Schumacher obteve sua última vitória no principado.

Por outro lado, o retrospecto de três pódios seguidos nos últimos três anos não chega a ser uma “maldição” – além do terceiro lugar de Kimi Raikkonen no ano passado, Massa conseguiu essa mesma posição em 2007 e 2008. Mas, na visão da escuderia, “o time mais famoso do automobilismo e o circuito mais famoso do calendário parecem não combinar”.

Alonso tem razões para concordar com isso. De volta a uma equipe competitiva depois de vencer em Mônaco por dois anos seguidos em 2006 e 2007, ele dominou a quinta-feira e chegou no sábado tão empolgado que bateu na terceira sessão livre. Até aí tudo bem. O que ninguém esperava era a quebra do chassi, que impediu o espanhol de disputar a classificação.

“Se eu batesse 100 vezes, com certeza em 99 delas não aconteceria nada, e eu poderia continuar, porque teria que trocar apenas a suspensão e o carro estaria pronto, mas desta vez o ângulo do impacto foi ruim e danificou o chassi”, lamentou Alonso, que vai largar dos boxes no domingo, às 9 horas (de Brasília).

Já Felipe Massa tinha tudo para fazer até uma pole position – o brasileiro fez o melhor tempo no Q1 e foi segundo no Q2. Mas, no Q3, justamente a fase do treino em que há menos carros na pista, o brasileiro foi atrapalhado pelo tráfego e perdeu a volta que seria a sua mais rápida.

"Quando fechei a volta em 1min14s2 e estava bem na próxima, o Rosberg estava na frente e acabei não fazendo a última volta. Era certeza que melhoraria, como no Q1 e no Q2", explicou o brasileiro, que assegurou o quarto posto com o tempo de 1min14s283, sendo que o pole position Mark Webber anotou 1min13s826.

"Todos os carros melhoraram seus tempos no finalzinho. Tive esse probleminha na Q3, e não deu para usar tudo e fazer a volta perfeita", completou Massa, que, por sua vez, também atrapalhou um concorrente.

Foi Jenson Button, que se disse “muito irritado” com o brasileiro ficando na sua frente quando o inglês líder do Mundial tentava sua volta rápida. Massa assegurou que não bloqueou o adversário de propósito, e sim porque havia um carro ainda mais lento na sua frente.

Mais experiente do grid, o heptacampeão Michael Schumacher também teve problemas com o companheiro de Mercedes Nico Rosberg à sua frente. Acabou em sétimo, logo atrás do colega, e não escondeu irritação durante o treino. Mas, depois, contemporizou: "Vocês sabem como é Mônaco, isso acontece com frequência".

Se Rosberg atrapalhou Massa e Schumacher, ele próprio também se sentiu atrapalhado: “Foi desapontante porque nada deu certo no Q3. Eu não peguei ritmo porque estava preso entre dois carros, com Barrichello na minha frente e Michael atrás, então eu não consegui embalar”.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host