UOL Esporte Fórmula 1
 
06/09/2010 - 08h25

Fittipaldi festeja 40 anos de 1ª vitória com 7º filho e neto correndo nos EUA

Do UOL Esporte
Em São Paulo
  • Emerson Fittipaldi venceu sua primeira prova no <br>GP dos Estados Unidos de 1970, em Watkins Glen

    Emerson Fittipaldi venceu sua primeira prova no
    GP dos Estados Unidos de 1970, em Watkins Glen

Emerson Fittipaldi foi responsável por abrir as portas do automobilismo ao Brasil, há 40 anos. No próximo mês de outubro, ele comemora a sua primeira vitória na Fórmula 1, feito até então inédito e conquistado no GP dos Estados Unidos, em Watkins Glen, enquanto festeja a vinda de mais um filho, seu sétimo, e o crescimento do neto Pietro como piloto.

O ex-piloto de 63 anos é casado com Rossana, com quem tem um filho, e recebeu a notícia de que mais um rebento está a caminho. “É uma benção, a gente se renova”, disse ele em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. Emerson tem cinco filhos já adultos e uma criança, seu xará de três anos, já com Rossana.

Enquanto isso, a velocidade corre no sangue de outro Fittipaldi, o neto Pietro, mais um que leva à frente a tradição de acelerar nas pistas. O garoto de 14 anos já acelera nos Estados Unidos.

“Ele compete há sete anos e está passando por tudo que um piloto precisa passar. Já ganhou e perdeu muitas corridas. É emocionante ver aquele ‘toquinho’ acelerando um carro de 500 cavalos”, afirmou ele. O neto sonha correr na Nascar.

Emerson comemora ainda a volta à Fórmula 1, no cargo de comissário. A FIA nesta temporada resolveu convidar estrelas do passado para participar da parte técnica dos GPs, incluindo Alain Prost e Damon Hill, por exemplo. Sobre a diferença fundamental entre sua época e a atual, ele pontua a segurança dos carros.

“Eu estive há pouco em Watkins Glen e comecei a lembrar dos detalhes da maioria das corridas de que participei. As maiores diferenças estão na segurança. Entre 1970 e 1974, morreram em média três pilotos por ano. Era um absurdo. Hoje os equipamento de segurança melhoraram, tanto que o último acidente fatal na F-1 foi o do Ayrton (Senna), em 1994”, analisou. “Os carros ficaram mais sólidos com o uso da fibra de carbono.”

Emerson elogiou Rubens Barrichello e Felipe Massa, dizendo que não falta talento para o país voltar a ser campeão do mundo. “O Felipe por muito pouco não foi campeão em 2008. O Rubinho teve carro e também poderia ter conquistado o Mundial. Eles são grandes talentos. O piloto brasileiro hoje é respeitado no mundo todo, como o jogador de futebol. Para vencer um campeonato, piloto e carro precisam ser constantes durante toda a temporada”, explicou o ex-piloto.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host