Topo

Fórmula 1

Bottas exalta força da Mercedes e divide méritos com Williams após pódio

Livio Oricchio

Do UOL, em Spielberg (Áustria)

22/06/2014 14h15

O GP da Áustria teve vários destaques, como Lewis Hamilton, da Mercedes, segundo depois de largar em nono, e Sergio Perez, Force India, sexto mesmo tendo começado a prova no Circuito Red Bull Ring em 15.º. Mas há um piloto, bastante jovem, que realizou em Spielberg outro grande trabalho, Valtteri Bottas, da Williams, companheiro de Massa, terceiro colocado, seu primeiro pódio.

No melhor estilo dos pilotos finlandeses, Bottas foi capaz neste domingo com os jornalistas como se obter um pódio na F1, em especial hoje, com o domínio dos dois carros da Mercedes, fosse algo fácil. Não parecia emocionado. "É um resultado muito bom para mim, mas principalmente para nossa equipe", disse.

No pódio, fez questão de apontar para os integrantes da Williams, abaixo dele, e para o troféu. "Para dizer que aquele prêmio era deles também." Bottas viveu em 2013 o pior ano da história da Williams, com apenas 5 pontos. E neste domingo, só na oitava etapa do calendário somou 27 pontos. "Nossa luta é com a Red Bull e a Ferrari, pela segunda colocação entre os construtores", explicou Rob Smedley.

Com o rendimento abaixo da crítica na corrida de casa, a Red Bull somou apenas 4 pontos e está em segundo, com 143 pontos, seguida da Ferrari, 98, 11 pontos em Spielberg, 87, Force India, e só então a Williams, 85.

Bottas comentou mais sobre a prova. "Os carros da Mercedes eram muito rápidos nas curvas. Nós, um pouco mais nas retas. Mas o que eles ganhavam nas curvas era mais do que nós nas retas." Antes da largada, com ele e Felipe Massa, a dupla da Williams, na primeira fila, o finlandês já previa dificuldades.

"Tínhamos os dados dos treinos livres e estava claro que em condição de corrida Nico (Rosberg, vencedor) e Lewis (Hamilton, segundo colocado) seriam mais velozes do que nós." Talvez se sua estratégia fosse outra, haveria uma chance de terminar em segundo lugar. "Precisamos estudar, mas pareceu possível."

Como Massa, Bottas perdeu um colocação no primeiro pit stop. Fez a parada na 15.ª volta, de um total de 71, em segundo e foi ultrapassado por Rosberg, que havia entrado nos boxes na 11.ª volta. Bottas não perdeu o segundo lugar na pista. Na 41.ª volta, realizou o segundo pit stop. Hamilton havia parado suas voltas antes. Quando o finlandês deixou os boxes, o inglês já estava na sua frente.

O mais importante para a Williams, ficou ainda mais claro no Circuito Red Bull Ring, é reforçar o grupo de estratégia. Por parar antes de Massa e Bottas, os pilotos da Mercedes conesguiram importante vantagem, a ponto de ultrapassar os dois.

A não ser no GP de Mônaco, quando teve pane na unidade motriz, Bottas marcou pontos nas demais sete corridas, o que o deixa em oitavo no Mundial, com 55 pontos, diante de 59 de Nico Hulkenberg, da Force India, nono hoje, 60 de Sebastian Vettel, Red Bull, abandonou na 34.ª volta, 79 de Fernando Alonso, Ferrari, quinto em Spielberg, e 83 de Daniel Ricciardo, Red Bull, oitavo.

Massa tem apenas 30 pontos. Kamui Kobayashi, da Caterham, o colocou para fora da corrida, na Austrália, a Williams errou no pit stop na China, na Espanha os pneus apresentaram desgaste anormal, muito em função de ficar no tráfego, e no Canadá colidiu com Perez, que acabou punido.

A dupla da Mercedes não deverá ser atingida este ano. Hoje Rosberg soma 165 e Hamilton, 136.

Sobre se está pronto para a primeira vitória, Bottas afirmou: "Com certeza. Ela virá, talvez este ano ainda". A respeito do GP da Grã-Bretanha, dia 6, Bottas lembrou não esperar muito do Circuito da Catalunha, traçado de alguma similaridade, mas largou em quarto e terminou em quinto. "É uma pista de muita pressão aerodinâmica. Com os últimos componentes novos avançamos bastante nesse aspecto. Vou confiante para a Inglaterra".