Topo

Fórmula 1

Renault apresenta novas cores e confirma Magnussen e Palmer como pilotos

Reprodução
Novo carro foi apresentado nesta quarta-feira Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

03/02/2016 10h47

A Renault revelou suas cores para a temporada de 2016, quando a montadora francesa volta a fazer parte do grid da Fórmula 1 como construtora. O time, que reassumiu a equipe baseada em Enstone, que corria sob o nome de Lotus até ano passado, usará predominantemente o preto, com detalhes em amarelo. No entanto, o diretor da divisão esportiva da marca, Jerome Stoll, deu uma dica de que as cores pode mudar: "O carro será todo preto em Melbourne? Adivinhe, vocês verão, mas a elegância das cores vai se manter."

O discurso do lançamento foi de confiança: "Temos os recursos, o time, a organização e o espírito. A Renault está de volta para ganhar", afirmou Stoll.

Como foi adiantado nos últimos dias, o venezuelano Pastor Maldonado perdeu a vaga devido à falta de pagamento de seu patrocinador, a petrolífera estatal venenzuelana, e foi substuído por Kevin Magnussen. O dinamarquês fora demitido no final do ano passado pela McLaren, equipe da qual foi titular em 2014 e reserva em 2015.

Reprodução
Carlos Ghosn apresentou novo carro da Renault ao lado dos três pilotos da equipe: Jolyon Palmer, Kevin Magnussen (titulares) e Esteban Ocon (reserva) Imagem: Reprodução
Magnussen terá a seu lado o estreante Jolyon Palmer, que foi reserva ano passado na Lotus após ter se sagrado campeão da GP2, principal categoria de acesso à F-1, em 2014.

A equipe também anunciou o nome de Frederic Vasseur como novo diretor de corridas. O francês, cara nova na Fórmula 1, tem grande experiência no comando de uma das equipes mais tradicionais do automobilismo de base, a ART Grand Prix. O diretor técnico será Bob Bell, que também trabalhou no time na década de 2000 e Cyril Abiteboul, ex-chefe da divisão de motores de F-1, será o diretor administrativo. 

"A Renault está lançando hoje seu maior programa de automobilismo", disse o CEO da empresa, Carlos Ghosn. "Será liderado pela Renault Sport Racing, que vai gerenciar todas as nossas ações, e a Renault Sport Cars, que vai supervisionar a pesquisa e desenvolvimento, além das vendas de nossa linha de performance." A expectativa do diretor é de que o time entre na briga pelos pódios em três anos.

Chamou a atenção durante o lançamento a forte presença da marca Infinity na pintura do carro. Trata-se de uma empresa do Grupo Renault especializada em carros esportivos, que era a patrocinadora principal da Red Bull. Em 2016, contudo, como o time anglo-austríaco usará motores Renault, mas sob o nome de Tag Hauer, é esperado que eles percam o patrocínio. Patrocinadores dinamarqueses, ligados a Magnussen, também marcam presença na pintura.

 

É a terceira vez que a Renault tem um time próprio na Fórmula 1. Na primeira, entre 1977 e 1985, o time chegou a ser vice-campeão do mundial de pilotos, com Alain Prost, em 1983. O segundo período, que foi desde a compra da Benetton até a venda para a Genii Capital, que rebatizou o time como Lotus, durou entre 2002 e 2010. Em 2005 e 2006, o time foi campeão de equipes e de pilotos, com Fernando Alonso. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!