Fórmula 1

Cinco anos após acidente que acabou com carreira, Kubica ainda sonha com F1

Kai Foersterling/EFE
Imagem: Kai Foersterling/EFE

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

06/02/2016 06h00

Há exatos cinco anos, no dia 5 de fevereiro de 2011, o mundo da Fórmula 1 assistia perplexo ao que seria o fim da carreira de um dos maiores talentos que surgiram no automobilismo nos últimos 10 anos. Uma brincadeira no rali quase tirou a vida do polonês Robert Kubica.

Mesmo tendo se recuperado e corrido no Mundial de Rali nos últimos três anos, Kubica ainda sobre com as limitações nos movimentos de seu braço e mão, que o impedem de fazer curvas mais fechadas dentro de um cockpit. “Não tenho rotação no meu punho ou antebraço. Nos carros de turismo ou rali, posso compensar isso com meu ombro, mas na Fórmula 1, o espaço do cockpit é muito apertado”, explicou.

“Havia um plano para eu testar um F-1 e estava confortável de que conseguiria fazer isso. Mas a questão era: ‘e depois?’ Depois não seria possível fazer nada devido a minhas limitações. Então decidi não fazer isso para me proteger.”

O polonês, que já foi citado por Fernando Alonso em entrevistas como o melhor piloto de sua geração, revelou que é tão difícil para ele aceitar que não poderá mais pilotar um F-1 em alto nível que preferiu se afastar dos amigos que fez na categoria. “Poderia ir às corridas e ter mais contato com meus amigos. Mas decidi evitar. Não porque não seja amigável, mas por causa do que isso me lembra. Sou honesto, Ver uma corrida de F-1 não é fácil. Não porque vejo Lewis [Hamilton] e Nico [Rosberg] lutando pelo campeonato e penso que os conheço desde cedo, corremos juntos desde 1998, mas porque sinto falta de correr com eles.”

Promessa

Kubica impressionou o mundo da Fórmula 1 logo que começou a testar pela BMW, em 2006. Quando Jacques Villeneuve encerrou sua carreira, se tornou titular. Foi sétimo na estreia, na Hungria, mas foi desclassificado, pois seu carro estava abaixo do peso regulamentar. Um mês depois, contudo, subiu ao pódio pela primeira vez, em Monza.

Depois da BMW crescer em 2007, no ano seguinte o carro era o terceiro melhor e Kubica conseguiu sua única vitória, no GP do Canadá, chegando, na ocasião, à liderança do campeonato. Porém, a falta de desenvolvimento do carro impediu que ele lutasse pelo título.

No ano seguinte, a BMW errou no projeto e Kubica fez um ano discreto. O polonês foi para a Renault em 2010 e se classificou constantemente no meio de carros mais fortes, mais uma vez chamando a atenção e chegando a ser cogitado para uma vaga na Ferrari. Nos primeiros testes da pré-temporada de 2011, o polonês foi o mais rápido, no que seria a última vez que ele subiria em um F-1.

O acidente

No dia 5 de fevereiro de 2011, em um evento de rali que fazia por lazer na Itália, Kubica perdeu o controle de seu Skoda e chocou-se contra o guard rail, que perfurou o carro e atingiu seu braço direito. O piloto chegou a correr risco de morte em um primeiro momento, mas a grande sequela do acidente foi a extensão de suas lesões no braço, que quase provocaram a amputação do membro. Além de fraturas, o piloto sofreu traumas musculares e nos nervos, iniciando uma lenta recuperação - e uma série de cirurgias - primeiro para voltar a ter uma vida normal e, depois, pensar em voltar às pistas.

O retorno aconteceu em algumas competições esporádicas no mundial de rali em 2013. Nos dois anos seguintes, Kubica competiu por todo o campeonato. Porém, o retorno aos carros de fórmula nunca foi possível.

Atualmente, não se sabe qual será o futuro do piloto, que sofreu outro acidente no Rali de Monte Carlo e anunciou que não participará da próxima etapa, na Suécia, por falta de patrocínio. Há rumores de que ele está tentando voltar aos cockpits, na Fórmula E.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo