Fórmula 1

Ferrari domina pré-temporada, mas segue sem saber se pode bater as Mercedes

José Jordan/AFP Photo
Imagem: José Jordan/AFP Photo

Do UOL, em São Paulo

04/03/2016 15h37

Apostando em modificações extensas no carro e no motor para rivalizar com a Mercedes na temporada 2016, a Ferrari liderou cinco das oito sessões de testes da pré-temporada e se diz pronta para desafiar os atuais bicampeões mundiais.

"A primeira impressão do carro foi boa, e tudo o que veio depois também", declarou Vettel. "Estamos contentes com o passo que demos e também com onde estamos. O objetivo era diminuir a diferença para a Mercedes. Começamos a fazer isso ano passado. Com o carro novo, demos outro passo. Se foi o suficiente, veremos na Austrália."

No que depender da opinião de Nico Rosberg, a Mercedes já tem motivos para começar a se preocupar. "A Ferrari foi muito rápida. Todas as equipes têm seus estrategistas, então sabemos mais ou menos o combustível que eles estavam usando e sabemos o nosso, então entendemos mais ou menos onde estamos. Sabemos que está perto, mas não temos certeza se estamos na frente ou atrás", disse o piloto do time alemão.

Ao contrário dos rivais, que se focaram em simulações de corridas e usaram prioritariamente os pneus médios, mais lentos, a Ferrari mesclou os ensaios de GP e de classificação, utilizando todos os tipos de compostos. Assim, os pilotos da Scuderia fecharam o teste com alguns dos melhores tempos estabelecidos na pré-temporada. 

A melhor marca nos novos pneus ultramacios, por exemplo, ficou com Kimi Raikkonen e foi quase meio segundo mais rápida que a rival que aparece mais perto do time italiano, a Williams. Já com o supermacio, Sebastian Vettel foi o melhor e colocou oito décimos em Felipe Massa. Com os macios, a diferença foi menor: Raikkonen fez a marca mais rápida, 13 milésimos melhor que a Mercedes de Nico Rosberg (na única saída com esse tipo de pneu do time alemão) e com menos de dois décimos de vantagem para Massa.

A pouca quilometragem da Scuderia em relação à Mercedes também preocupa: a Ferrari perdeu tempo com problemas relacionados a sua unidade de potência, que sofreu alterações no posicionamento dos componentes. Assim, o time foi apenas o quarto em termos de quilometragem, perdendo para Mercedes - que passou dos 6000km percorridos nos testes e superou a Scuderia em mais de 2000km - Toro Rosso e Williams. Porém, o chefe da equipe, Maurizio Arrivabene garantiu categoricamente que “a Ferrari não tem um problema no motor”.

Sem ter comprovado como será o rendimento do carro frente à Mercedes, cabe à Ferrari esperar até o início da temporada, dia 20 de março, no GP da Austrália. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
UOL Esporte vê TV
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo