Fórmula 1

McLaren mostra evolução nos testes e Alonso fala em pódio ainda em 2016

José Jordan/AFP Photo
Imagem: José Jordan/AFP Photo

Do UOL, em São Paulo

06/03/2016 06h00

A pré-temporada de 2015 já deixou claro que a McLaren teria um ano difícil pela frente: com sérios problemas de confiabilidade e performance do motor Honda, o time deu apenas 380 voltas - quase 1000 a menos que os líderes - ao longo de 12 dias de teste, e fechou com um melhor tempo 3s pior do que o ritmo dos pilotos da ponta.

Em 2016, o cenário é bastante diferente: com apenas oito dias de teste, o time conseguiu dar 707 voltas, com a melhor marca a 1s949 da líder Ferrari, com o mesmo composto de pneu.

E o time espera ainda mais durante a temporada. Tendo identificado os problemas do motor na temporada passada, os japoneses fizeram mudanças significativas no tamanho do turbo e do compressor e melhoraram a recuperação de energia híbrida, grande problema do carro em 2015.

“Houve mudanças grandes de desenho e filosofia na unidade de potência, e quando chegamos aos primeiros testes sempre há a curiosidade para ver se tudo funciona como em teoria. Estou me sentindo contente quanto a isso porque não tivemos problemas graves pelo menos com a unidade de potência”, destacou Alonso.

“Em termos de rendimento, veremos. Ainda faltam alguns cavalos, mas tomara que possamos desbloqueá-los durante o campeonato.”

Jenson Button também se mostrou animado com a evolução. “Trata-se de uma melhora maior do que havia acontecido nos últimos 14 meses”, cravou. “Em determinadas pistas, perdíamos algo entre 0s6 por volta. Agora que o sistema está funcionando bem, daqui em diante a questão é diminuir a margem em relação à concorrência. Demos um bom passo adiante, e necessário.”

Alonso afirmou que espera ver a McLaren com possibilidade inclusive de chegar ao pódio a partir do GP da Espanha, em maio. O tal prazo tem a ver com a necessidade que a equipe admite de ainda desenvolver o carro na parte aerodinâmica - que finalmente pôde ser testada a contento agora que os problemas de confiabilidade de motor diminuíram consideravelmente - e a própria Honda ainda tem trabalho a fazer.

“Fernando diz que podemos conseguir alguns pódios neste ano, o que é verdade em teoria, mas não sabemos exatamente onde estamos no momento”, admitiu o chefe Eric Boullier. “Temos muito por vir, mas não podemos usar tudo agora. Foi importante para nós entendermos que o modelo que usamos na fábrica está dando os mesmos resultados que vimos na pista. A partir daí podemos desenvolver o carro.”

Boullier confirmou ainda que a McLaren não usou todas as peças novas durante os testes e espera uma melhora já para a primeira etapa, o GP da Austrália, dia 20 de março.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Topo