Topo

Fórmula 1

Após atraso de salários, chefe de Nasr reclama de desigualdades da F-1

AP Photo/Lai Seng Sin
Imagem: AP Photo/Lai Seng Sin

Do UOL, em São Paulo

28/03/2016 10h23

Apesar de tratar o atraso nos salários de fevereiro de seus funcionários como um episódio isolado, a chefe da Sauber, Monisha Kalterborn, aproveitou para criticar o atual sistema de distribuição dos lucros da Fórmula 1 entre as equipes e lembrou que, embora a categoria não tenha problemas em fazer dinheiro, vários times estão em dificuldades.

“Não vou comentar sobre nossas finanças mas, em relação ao atraso, ele foi de um dia e nos arrependemos muito. Foi apenas um conjunto infeliz de circunstâncias que aconteceram de uma só vez. Não deve se repetir”, afirmou.

A dirigente indicou que, mesmo com os problemas - que teriam a ver com a demora do repasse de recursos em uma remessa internacional - a equipe não está entre as que já pediram um adiantamento do dinheiro concedido pelos detentores de direitos comerciais, ao contrário de Manor e Force India, que também estão em dificuldades.

Monisha lembrou que o orçamento curto das equipes é ligado à maneira desigual como o dinheiro é distribuído, uma vez que a F-1 em si vem arrecadando cada vez mais nos últimos anos.

“Isso não tem nada a ver com o produto: são questões comerciais. Algumas delas são resultado do regulamento técnico e está na hora para algo ser feito a respeito. Se você tentar explicar para as pessoas quanto dinheiro o esporte gera - e tem crescido ano após ano - e ainda assim várias equipes têm problemas, não pode estar certo. Algo está fundamentalmente errado com nosso esporte.”

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!