Topo

Fórmula 1

Após acidente, Alonso é vetado pelos médicos e está fora do GP do Bahrein

Do UOL, em São Paulo

31/03/2016 07h31

Fernando Alonso foi vetado pelos médicos da FIA e não participará das atividades do GP do Bahrein após uma checagem feita na manhã desta quinta-feira no circuito de Shakir. De acordo com os profissionais, foi feita uma comparação entre os exames antigos e atuais do piloto na região das costelas e "não houve um resultado suficientemente claro para declarar que é seguro que o piloto corra". Alonso havia reclamado de dores na região após a batida, mas não fora constatada nenhuma fratura. Isso só aconteceu na semana seguinte, quando ele passou por exames na Espanha.

O bicampeão foi obrigado a passar por tais exames depois do forte acidente sofrido há pouco menos de duas semanas, no GP da Austrália, do qual escapou apenas com dores musculares, mas revelou por meio das mídias sociais que demorou alguns dias até se sentir totalmente recuperado. Ao sair do exame, disse que se sentia bem e que queria correr, mas não convenceu os médicos após uma avaliação que durou 90 minutos e contou com teste de impacto e neurológico, além do raio-X peitoral.

Com a baixa, a McLaren irá promover a estreia do belga Stoffel Vandoorne, campeão da GP2 do ano passado. A notícia pegou a equipe de surpresa: o reserva estava escalado para fazer um teste no Japão e pegou o primeiro avião para o Bahrein assim que soube do veto.

Alonso disse, por meio de seu instagram, que tentou "até o último minuto correr no Bahrein depois do acidente da Austrália, foram dias logicamente duros depois de um impacto tão forte e até o último segundo só pensava em ajudar a equipe depois do trabalho incrível que eles fizeram nessas últimas semanas. Entendo a posição dos médicos e agora só tentarei ajudar com todas as minhas forças meu companheiro Vandoorne para obter o melhor resultado possível neste final de semana."


O carro de Alonso também ficou bastante avariado: a Honda revelou que não conseguiu reutilizar nenhuma parte da unidade de potência, obrigando o espanhol a 'queimar' um dos cinco motores que tinha à disposição para a temporada. A McLaren também foi obrigada a construir um novo chassi para a segunda etapa do mundial, que acontece neste domingo.

Paralelamente, a FIA abriu uma investigação para determinar por que o assento do carro do espanhol cedeu no acidente, um dos mais fortes que a Fórmula 1 assistiu nos últimos anos. Alonso admitiu que julgou mal a freada ao tentar ultrapassar a Haas de Esteban Gutierrez por fora e bateu na traseira do mexicano. Com o impacto no rival e no muro, o carro perdeu as rodas dianteiras e foi, desgovernado, para a brita, onde capotou por duas vezes. A Haas também teve de preparar um novo chassi para Gutierrez.

A FIA declarou ainda que Alonso terá de passar novamente pelo teste antes do GP da China para ter sua participação confirmada. É a segunda vez em pouco mais de um ano que o espanhol perde uma corrida por questões médicas: ele ficou de fora do GP da Austrália do ano passado depois de sofrer uma concussão em acidente sofrido nos testes de pré-temporada.

As atividades de pista para o GP do Bahrein começam com o treino livre realizado às 8h da sexta-feira, pelo horário de Brasília. A classificação está marcada para as 12h do sábado e a largada, também para o meio-dia, do domingo. Nico Rosberg ganhou a primeira etapa e lidera o campeonato.

 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!