Fórmula 1

Por competitividade, FIA libera desenvolvimento dos motores e corta custos

Dan Istitene/Getty Images
Imagem: Dan Istitene/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

29/04/2016 12h12

Após muita discussão nos bastidores, a Federação Internacional de Automobilismo divulgou nesta sexta-feira que chegou a um acordo com as montadoras da Fórmula 1 para reduzir os custos dos motores, liberar o desenvolvimento e melhorar o barulho.

A confirmação acontece um dia antes do prazo final para a definição das regras para o campeonato de 2017, quando haverá uma grande revolução no regulamento. O carro será mais largo, assim como os pneus, o que deve baixar os tempos de volta em cerca de 5s.

Mas a grande discussão era em relação aos motores: a FIA tentava garantir, por regulamento, que nenhuma equipe ficasse sem fornecedor - risco que foi corrido pela Red Bull para a temporada 2016 - e que os preços das unidades de potência tivessem um teto.

Ainda que a FIA não tenha conseguido estabelecer um preço máximo, ficou decidido que as unidades de potência custarão 1 milhão de euros a menos em comparação com 2016. Cada montadora cobra um preço, que gira em torno de 15 a 20 milhões de euros. A partir de 2018, o custo anual cairá em 3 milhões de euros.

 

Tal redução estará relacionada a mudanças no regulamento técnico, que vão restringir o número de unidades disponíveis por temporada - atualmente, são cinco - e haverá mais restrições de tamanho, peso e materiais usados nos motores.

 

Além disso, outra grande vitória foi a eliminação do sistema de fichas de desenvolvimento, que limitava a evolução dos motores. Com a liberação das alterações, aumenta-se a possibilidade das performances dos motores convergirem, tornando a categoria mais competitiva. Desde a introdução dos atuais motores V6 turbo, a Mercedes tem dominado amplamente as corridas.

O terceiro ponto é o barulho. Para esta temporada, foram adotados escapamentos adicionais justamente para aumentar o ruído, mas a diferença foi pequena e os engenheiros estão estudando outras maneiras de fazer o volume subir sem perda de performance. Porém, a novidade pode ficar para 2018, de acordo com o documento da FIA.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Topo