Topo

Fórmula 1

Estreia de pneu ultramacio pode fazer a Fórmula 1 bater recorde em Mônaco

Lars Baron/Getty Images
Imagem: Lars Baron/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Monte Carlo (MON)

26/05/2016 09h25

Um pneu feito especialmente para Mônaco. E que deve permitir que os pilotos andem tão rápido quanto na época dos motores V10. É esta a expectativa para a estreia do composto ultramacio, de cor roxa, que a Pirelli promove neste final de semana no Principado.

“Ficaria surpreso se os tempos não baixarem bastante em relação ao ano passado porque os pneus devem nos dar mais aderência e também serão mais fáceis de aquecer”, avaliou Carlos Sainz, da Toro Rosso, ouvido pelo UOL Esporte.

“Acho que a Mercedes deve chegar a 1min13, ou seja, chegando perto dos tempos de 2004 e 2005. Estou animado para isso porque vamos poder forçar mais, poderemos chegar mais perto do limite nesta pista e fazia tempo que não era assim.”

Sainz se refere a um período considerado por muitos pilotos como aquele em que a Fórmula 1 teve os melhores carros, com grande aderência vinda da aerodinâmica e motores potentes. Não por acaso, a maioria dos recordes de pista é de 2004 e 2005. Em Mônaco, a pole mais rápida foi de Kimi Raikkonen em 2005, com 1min16s6.

Um dos motivos para o pneu fazer tanta diferença é do fato do composto mais macio ser mais fácil de aquecer, como explicou Felipe Massa.

“Sabemos que, para Mônaco, quando mais mole o composto, melhor. Então esperamos que o ultramacio seja muito melhor do que o macio e o supermacio, que eram difíceis de aquecer. Vamos ter que pegar o jeito desse pneu o mais rápido possível para entender a estratégia certa no domingo.”

A experiência de Massa com este tipo de composto era mínima antes dos treinos livres desta quinta-feira em Mônaco: o piloto só havia dado uma volta com o ultramacio. Já Felipe Nasr nunca tinha andado com a novidade. “Não sei se o pneu vai nos ajudar ou não.  Depende de como o carro vai estar porque a gente nunca testou com esse pneu”, avaliou.

Mesmo com a velocidade extra, a Pirelli não espera que os pneus tenham grande desgaste devido à falta de abrasividade do asfalto em Mônaco. Assim, a expectativa é de que o composto dure cerca de 40 voltas na corrida, permitindo que os pilotos completem as 78 voltas com apenas uma parada.

O GP de Mônaco tem classificação às 9h pelo horário de Brasília. A largada está marcada para o mesmo horário, no domingo.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!