Fórmula 1

Hamilton se vê sob pressão por estilo 'tô nem aí' e promete volta por cima

Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Barcelona (ESP)

27/06/2016 06h00

Lewis Hamilton chegou confiante ao GP da Europa, em Baku, após duas vitórias seguidas em Mônaco e no Canadá, diminuindo uma desvantagem de 43 para nove pontos no campeonato em relação ao companheiro Nico Rosberg. Porém, um erro no sábado e a dificuldade em entender uma configuração errada em seu carro no domingo não resultaram apenas em poucos pontos para o inglês no Azerbarijão, assim como a desconfiança de que o tricampeão não tem se esforçado tanto quanto deveria.

As críticas começaram após a série de erros na classificação, que culminaram com uma batida que o colocou no décimo lugar no grid. Nos dias anteriores, Hamilton havia admitido que fizera apenas oito voltas no simulador da Mercedes para conhecer a pista, novidade no calendário, e dispensou a tradicional caminhada que os pilotos fazem ao lado de seus engenheiros nos circuitos para entender detalhes que muitas vezes não são claros nos simuladores, como altura das zebras e variações no asfalto.

Para efeito de comparação, pilotos como Rosberg e Sebastian Vettel declararam terem feito perto de 100 voltas no simulador e até Kimi Raikkonen, que também não costuma fazer o chamado ‘track walk’ com os engenheiros, resolveu checar a pista de perto na quinta-feira em Baku, de bicicleta.

Rosberg, no entanto, preferiu não opinar sobre a postura do companheiro e salientou que trata-se de um dos pilotos mais vencedores dos últimos tempos.

“Cada um tem sua própria abordagem. A abordagem dele está funcionando - ele é um tricampeão mundial, então deve estar fazendo algo certo. Então quem tem o direito de criticar a abordagem dele? Não acho que isso cabe a mim. Tenho certeza que houve jogadores na história do US Open, por exemplo, que dominaram a competição mesmo tendo abordagens diferentes.

Entretanto, quando perguntado se chegaria a uma pista desconhecida tendo feito apenas oito voltas no simulador e não andaria a pé antes para conhecer os detalhes do circuito, Rosberg limitou a dizer que “não”.

O ex-piloto Jean Alesi foi mais incisivo. “Hamilton aprendeu uma lição de humildade”, disse no Canal Plus, da França. “Quando se tem um carro tão bom quanto o da Mercedes, é fácil cair em uma armadilha. Acho que Lewis vai para casa com alguma humildade, porque você tem de tratar uma pista tão difícil com mais seriedade.”

Manual de instruções
A dificuldade de Hamilton entender por que recebia alertas em seu volante que indicavam que o sistema de recuperação de energia estava funcionando aquém do necessário apenas aumentaram as críticas à abordagem do inglês.

Por ter de ultrapassar carros, largando mais atrás, Hamilton estava usando um modo mais agressivo do que o companheiro. Porém, quando começou a receber as mensagens, não sabia como proceder, uma vez que não havia feito alterações no volante previamente. Tal problema surgiu devido a uma pré-programação errada feita com base nos treinos de sexta-feira e atrapalhou Lewis por cerca de 15 voltas. Como a equipe não pode instruir o piloto durante a prova, as perguntas do tricampeão sobre como proceder não puderam ser respondidas.

Rosberg recebeu o mesmo sinal de alerta e resolveu em menos de uma volta. Porém, a equipe explicou que ele simplesmente desativou um comando que havia ativado algumas voltas antes.

Ainda que a situação tenha sido mais simples para Rosberg, o problema abriu a discussão se Hamilton deveria saber o que fazer em uma situação destas ou se tratava-se de algo técnico demais para o piloto controlar no meio da corrida.

“Era só mudar um controle, mas ele precisava descobrir isso e quando você está a 350km/h no carro e mexendo no volante ao mesmo tempo é algo complexo. Não acho que tem a ver com Lewis não ter feito sua lição de casa”, salientou o chefe do piloto Toto Wolff.

Hamilton, por sua vez, disse esperar que todo o problema não tenha sido culpa sua. “Se for, vou retificar isso”, garantiu.

Falando sobre o GP da Áustria, que será realizado neste final de semana, o inglês, que nunca venceu no circuito, disse que “aceitaria de bom grado a pole position, pois ela é muito importante nesta pista.”

Com o quinto lugar do Azerbaijão, Hamilton está a 24 pontos de Rosberg no campeonato após oito das 21 etapas disputadas.

As atividades para o GP da Áustria começam com os treinos livres a partir das 5h e das 9h pelo horário de Brasília, na sexta-feira. O terceiro treino livre será disputado às 6h do sábado e a classificação começa às 9h. A largada para a nona etapa do campeonato também será às 9h, no domingo.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo