Topo

Fórmula 1

Ecclestone está prestes a vender a F-1. E ficar no poder por mais três anos

ANDREJ ISAKOVIC/AFP
Imagem: ANDREJ ISAKOVIC/AFP

Do UOL, em São Paulo

07/09/2016 10h40

A Fórmula 1 está perto de anunciar sua venda para uma empresa norte-americana de mídia. Mas Bernie Ecclestone, que tem controlado o esporte há mais de 30 anos, garante que isso não quer dizer que está deixando o esporte.

Ecclestone, que faz 86 anos no final de 2016 e é o principal negociador dos contratos com as equipes e circuitos e quem também fecha os acordos de direitos de transmissão, afirmou que os novos compradores pediram que ele permaneça mesmo após a venda, que deve ser anunciada até a semana que vem.

“Eles querem que eu fique por três anos”, disse à Reuters, revelando que as negociações ainda estão em curso, o que significa que o chefão não estará na próxima etapa, que será disputada dia 18 de setembro. “Por conta de tudo o que está sendo negociado, não vou para o GP de Cingapura. Eles querem que eu fique em Londres para ajudá-los, então não posso me ausentar por cinco ou seis dias.”

A Fórmula 1 negocia há meses sua venda para o Liberty Media, de propriedade do norte-americano John Malone. O negócio é calculado em 8 bilhões de dólares. Na próxima terça-feira, está agendada uma reunião dos comandantes da categoria na qual, espera-se, o novo presidente já possa ser apresentado. O mais cotado é Chase Carey, vice-presidente executivo da 21st Century Fox e diretor da Sky Plc, dona da Sky News.

“Ele pode fazer várias coisas que não fiz com as mídias sociais, pois parece conhecer o assunto”, disse Ecclestone. “Ele lida com patrocínios nos trabalhos que faz na TV. Vamos nos dar bem.”

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!