Fórmula 1

Maior temporada da história divide pilotos na F1. E pode crescer ainda mais

Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Tóquio (Japão)

12/10/2016 06h00

Fernando Alonso, Kimi Raikkonen e Felipe Massa são algumas das testemunhas de quando a Fórmula 1 tinha apenas 16 corridas em seu calendário, sendo que cinco - Austrália, Malásia, Brasil, Canadá e Japão - eram disputadas fora da Europa. Afinal, o último ano em que isso aconteceu foi em 2003, quando o trio já fazia parte do grid. De lá para cá, o calendário não foi apenas inchando, como também se diversificando, até chegar ao campeonato recorde de 2016, com 21 etapas, menos da metade no Velho Continente, onde pilotos e equipes estão baseados.

E essa expansão não dá sinais de que vá parar por aí. Os novos donos da Liberty Media já indicaram que o calendário pode chegar a 25 provas em um futuro próximo.

Raikkonen diz sentir que as pré-temporadas estão cada vez mais curtas, uma vez que o campeonato vai avançando até o final de novembro, e os pilotos e equipes ainda têm trabalho nas semanas seguintes, mas lembra: não falta gente interessada em fazer parte do circo mesmo assim.

“Goste ou não, faz parte”, disse o finlandês ao UOL Esporte. “Quando terminarmos o trabalho deste ano vai estar perto do Natal, então não haverá muito tempo até tudo começar de novo ano que vem. Para todos na equipe será um ano longo e não teremos muito tempo para relaxar e nos prepararmos. Mas quem não estiver contente pode ficar em casa porque sempre tem alguém que quer estar aqui. O fato das temporadas estarem mais longas faz parte da Fórmula 1 atual e sabe-se lá o que vai acontecer no futuro.”

Um dos grandes críticos do atual calendário é Fernando Alonso. O espanhol, que não vence uma corrida desde 2013 e vem tendo progressos lentos com o projeto da McLaren-Honda, garante que as broncas não têm nada a ver com os resultados ruins.

Perguntado pelo UOL Esporte se as reclamações tinham relação com a atual fase, Alonso garantiu que não. “Eu reclamava naquela época [referindo-se a 2010, uma temporada que teve 20 GPs e na qual disputou o título até o fim], mas não havia tantas perguntas sobre o assunto”, disse.

“Há opiniões diferentes entre os pilotos e entendo totalmente. Tínhamos 16 ou 17 corridas quando comecei, mas fazíamos muitos testes, então estávamos correndo quase sempre. No final das contas, talvez éramos até mais ocupados antes. Não é esse o problema, mas sim as viagens, essas corridas seguidas. Vamos para o Japão, depois para os EUA, depois América do Sul, para terminar nos Emirados Árabes. Para mim, isso é demais. É minha opinião, ninguém tem de concordar.”

Mas Alonso não está sozinho nas críticas. Jenson Button comemorou o fato de ter um ano sabático em 2017 justamente por poder ter mais tempo livre e o próprio Felipe Massa reconheceu ao UOL Esporte que o calendário longo foi um dos fatores que o levaram a decidir pela saída da F-1.

“Não é só fazer 21 corridas. As pessoas pensam que a gente só chega no final de semana de corrida e corre. E a semana seguinte em que você tem que estar na fábrica trabalhando? No final das contas, você tem pouco tempo em casa. Sempre fui muito profissional e sempre trabalhei muito no simulador, nas reuniões. Chega uma hora que acaba pesando.”

Entre os mais jovens, contudo, além da energia extra, o fato dos testes serem bastante limitados durante a temporada, ao contrário da época em que Alonso, Raikkonen, Button e Massa começaram, faz com que o maior número de corridas seja bem-vindo.

“Sempre fui a favor porque, tendo mais corridas, é positivo para mim, pois sou jovem e isso me ajuda a estar tempo mais no carro, ganhar mais experiência”, explicou Felipe Nasr. “Porém, mais do que 21 já não sei se será tão melhor. Esse número de provas atual é o ideal para mim.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo