Fórmula 1

Para Fittipaldi, crise e política afetam desempenho do Brasil na Fórmula 1

Fabio Setimio/Fotoarena
Bicampeão comparou situação do Brasil com a do México, em ascensão na F1 Imagem: Fabio Setimio/Fotoarena

Do UOL, em São Paulo

14/10/2016 19h03

Emerson Fittipaldi fez duras críticas à relação entre a classe política brasileira e o incentivo ao esporte, em especial ao automobilismo. Em entrevista publicada nesta sexta-feira (14) ao jornal italiano Corriere dello Sport, o bicampeão mundial de Fórmula 1 associou a falta de pilotos brasileiros na categoria à situação econômica brasileira.

“Meu país está em grave crise. Não há mais patrocinadores que apoiem jovens atletas. A corrupção está desenfreada. Não há mais interessados no esporte, o que é uma vergonha”, afirmou Fittipaldi, afirmando ter perdido dinheiro no atual momento econômico do Brasil. “O estado entrou em colapso. Precisamos mudar nossa classe política”, acrescentou, sem fazer menção a políticos ou partidos específicos.

O Brasil conta com dois pilotos na atual temporada da Fórmula 1: Felipe Massa (Williams) e Felipe Nasr (Sauber). O primeiro já anunciou que se aposentará da categoria no final de 2016, enquanto o segundo ainda tem seu futuro indefinido. Caso Nasr não consiga uma equipe para 2017, o Brasil ficará sem pilotos na F1, o que aconteceu pela última vez em 1969.

Para efeito de comparação, Emerson citou o México: além de conseguir a volta ao calendário em 2015, o México já tem Sergio Perez confirmado como piloto da Force India em 2017 e tem chances de manter Esteban Gutierrez na Haas. Segundo o brasileiro, o sucesso se deve ao apoio de empresários como Carlos Slim, bilionário do ramo das telecomunicações.

“No México, acontece o contrário (do Brasil): Carlos Slim trouxe de volta o Grande Prêmio, e graças a ele, há dois pilotos (Gutiérrez e Pérez). É um exemplo para toda a América Latina. Então, estou muito decepcionado com o Brasil”, comparou.

Ainda na entrevista, Emerson fez um panorama do atual grid da Fórmula 1. Para ele, Fernando Alonso é “o mais completo” dentre os pilotos, enquanto Lewis Hamilton Sebastian Vettel e Nico Rosberg estariam “todos mais ou menos no mesmo nível”. Max Verstappen, por sua vez, “é um fenômeno”: “vai ser campeão, eu juro”.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Topo