Fórmula 1

Ninguém esquece os 17 segundos que (não) mudaram a vida de Felipe Massa

Ker Robertson/Getty Images
Felipe Massa em 2008, no GP do Brasil, quando perdeu o título mundial na última curva Imagem: Ker Robertson/Getty Images

Gustavo Franceschini, Julianne Cerasoli e Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

13/11/2016 06h00

Felipe Massa tem 15 anos de Fórmula 1, vai completar 250 GP’s na carreira e venceu mais de uma dezena de corridas, mas o momento mais marcante da sua carreira não durou mais que 17 segundos. Dar adeus a Interlagos significa, para o brasileiro, lembrar do breve momento em que ele foi campeão do mundo e como isso poderia ter mudado o rumo da sua carreira.

O episódio é mais que conhecido. Em 2008, Massa brigava pelo título com Lewis Hamilton e venceu o GP do Brasil enquanto o inglês ocupava a sexta posição, o que dava a conquista ao brasileiro. Na penúltima curva de Interlagos, porém, Hamilton conseguiu ultrapassar Timo Glock e levou a temporada por apenas um ponto. O desfecho, um dos mais emocionantes da história da Fórmula 1, marcou para sempre a carreira de Felipe.

"As pessoas falam: 'Pô, aquele ano eu chorei’, 'Aquele ano você merecia ser campeão’, ‘Uma pena’. Só que aquele ano eu venci a corrida, não dependia só de mim. Eu venci a corrida, eu fiz a volta mais rápida, eu larguei na pole. Então quando eu volto a pensar, do meu lado eu fiz o trabalho perfeito, não dependia só de mim. Eu perdi [o título] em qualquer outra corrida em que eu perdi um ponto. Então não foi no Brasil. No Brasil eu lutei até o fim fazendo o trabalho perfeito. Não foi para ser por algum motivo que eu não sei explicar", disse Felipe Massa. 

“Foi uma coisa de grande emoção. Acho que não tinha acontecido na Fórmula 1 de alguém estar ganhando o título e perder na última volta, na última curva. As pessoas sempre me falam: ‘E 2008! Como eu torci em 2008! Me lembro do senhor comemorando na TV”, conta Titônio Massa, pai de Felipe, que apareceu ao vivo na transmissão oficial justamente no momento em que Hamilton conseguiu a ultrapassagem fatídica.

Massa nunca mais teve a chance de brigar pelo título. Em 2009, uma mudança técnica na Fórmula 1 fez a Ferrari ir parar no fim do grid. Felipe sofreu um grave acidente, perdeu parte da temporada e só voltaria a correr em 2010, já ao lado de Fernando Alonso. Já bicampeão mundial àquela altura, o espanhol passou a ser o piloto número um da Ferrari e chegou a ser favorecido por decisões da chefia da equipe, cenário que poderia ter sido diferente caso aqueles 20 segundos tivessem terminado de outra forma. 

“Teria sido excelente para ele. Acho que é diferente ser campeão do mundo. Você começa a ter algumas regalias dentro de uma equipe. Não seria um campeão do mundo, seriam dois. Apesar do outro ter dois, é campeão do mundo”, disse Titônio.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

AFP
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo