Fórmula 1

Inimigos poderosos e golpe: entenda como Dennis perdeu controle da McLaren

Dan Istitene/Getty Images
Imagem: Dan Istitene/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

16/11/2016 09h20

Era impensável há 10 anos que Ron Dennis seria obrigado a deixar o comando da McLaren pela porta dos fundos, mas o anúncio oficial da saída imediata do dirigente é o capítulo final de uma série de eventos que fizeram com que um dos mais vitoriosos chefes de equipe de todos os tempos perdesse uma batalha judicial e se visse de fora do império que ele mesmo foi fundamental para criar.

Sabendo que seu contrato como presidente e chefe executivo do Grupo McLaren não seria renovado ao final deste ano, Dennis tentou até o último instante reverter a situação, apelando até para a Suprema Corte britânica, mas a perda do caso acabou significando seu desligamento imediato do time que comandava desde 1980. Apesar de manter 25% das ações do Grupo, sua situação política na empresa é bastante delicada.

Dennis contou com o apoio de Mansour Ojjeh, seu parceiro comercial, para comprar a McLaren no início dos anos 1980. A parceria foi, inclusive, importante para o time manter sua independência mesmo quando todos os caminhos apontavam para o controle das montadoras. Porém, a relação se desgastou nos últimos nove anos e fez com que o milionário se aliasse aos acionistas barenitas, que possuem 50% das ações, para tirar Dennis do poder.

O inglês de 69 anos vinha trabalhando para comprar as ações de Ojjeh e da empresa Mumtalakat para retomar o controle da McLaren, e tentava uma parceria com investidores chineses. O negócio, contudo, não teve sucesso, o que acelerou a saída de Dennis.

Mas o começo do fim para o dirigente foi o caso de espionagem de 2007, e a maneira como o inglês lidou com isso, prejudicando a imagem da McLaren no meio comercial e dificultando a prospecção de patrocinadores desde então. Comprar uma briga com o então presidente da FIA, Max Mosley, seu inimigo histórico, também prejudicou.

Sabendo que muito das consequências do caso de espionagem, que gerou uma multa de 100 milhões de dólares e a desclassificação do mundial de construtores daquele ano, além de restrições técnicas para a temporada seguinte, tinha relação direta com a rivalidade com Mosley, Dennis se afastou temporariamente de uma posição de maior proeminência no comando da equipe.

Anos depois, em 2014, porém, o inglês voltou, em uma espécie de golpe que tirou Martin Whitmarsh do comando. O dirigente, porém, era aliado de Ojjeh, que na época estava internado em estado grave. Acredita-se que, a partir daí, o ex-parceiro de Dennis tornou-se seu inimigo e, atraindo o apoio dos barenitas, conseguiu tirar Ron do poder.

Em seu comunicado a respeito da saída, Dennis garantiu que continuará “cuidando dos interesses” da McLaren. Porém, com a situação política interna tão complicada, a atual seca de patrocinadores - que também tem relação com seu pensamento de pedir somas altas para não afetar a imagem do time - e os quatro anos sem vitórias, é difícil imaginar seu retorno.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
UOL Esporte
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Esporte Ponto Final
UOL Esporte
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo