Topo

Fórmula 1

Para ex-engenheiro da Ferrari, Alonso foi "o problema" de Massa na equipe

AP
Imagem: AP

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

23/11/2016 06h00

De 2006 a 2008, Felipe Massa ganhou 11 corridas pela Ferrari, esteve na briga pelo título a até quatro provas do fim em 2007 e perdeu a disputa por um ponto no ano seguinte. Porém, desde o GP do Brasil de 2008, o brasileiro não venceu mais nenhuma corrida e terminou todas as temporadas atrás de seu companheiro de equipe.

Há quem defenda que essa guinada na carreira de Massa tenha sido consequência do acidente que o piloto sofreu na classificação do GP da Hungria, em 2009, que o deixou de fora de praticamente metade daquela temporada. Afinal, mesmo com as dificuldades enfrentadas pela Ferrari, que não tinha um bom carro naquele ano, Massa estava batendo o então companheiro Kimi Raikkonen de forma convincente antes da batida. Outros apontam motivos como mudanças técnicas no regulamento e nos pneus para a queda de rendimento do brasileiro.

Para o engenheiro Rob Smedley, que trabalhou diretamente com Massa na Ferrari de 2006 a 2013 e depois seguiu o piloto na Williams, onde assumiu o cargo de chefe de performance em 2014, a explicação para a queda de Massa não tem nada a ver com estes motivos e, sim, é o ambiente criado por Fernando Alonso na Ferrari.

Segundo Smedley, a Ferrari para a qual Massa voltou após recuperar-se do acidente, no início de 2010, quando Alonso substituiu Raikkonen, era completamente diferente do time que ele havia deixado seis meses antes.

“Falar isso é uma besteira!”, disse o engenheiro quando perguntado pelo UOL Esporte se o acidente era o motivo para a seca de vitórias de Massa. “A melhor prova disso é o primeiro teste quando ele voltou, com o carro de 2007. Todos os pilotos de teste que estavam na ativa na época andaram também e ele estava acabando com todos eles. Ele fazia tempos de volta dos quais os outros nem chegavam perto. [O acidente] não foi o problema do Felipe.”

A forma como Alonso moldou a equipe em seu favor seria, portanto, o grande motivo para a queda de Massa.

“A equipe que ele deixou em 2009 era muito equilibrada entre ele e o Kimi. O time para o qual ele voltou em 2010 era completamente focado em Fernando. Tudo acontecia em volta de Fernando. Esse foi o problema dele. Não teve nada a ver com ele.”

Também ouvido pelo UOL Esporte, Massa prefere não colocar a culpa em uma situação em particular.

“É difícil saber o que aconteceu. As coisas aconteciam antes de forma que a vitória vinha de um jeito muito mais fácil do que foi depois. Se isso foi por causa do acidente, do carro, da equipe, do que for, é impossível ter uma resposta. Eu me sinto bem depois do acidente. Sou igual eu era antes. Eu sempre continuei dando o máximo, fiz muitas coisas boas depois [do acidente]. Tudo continuou do mesmo jeito, só as vitórias que não vieram.”

O brasileiro faz sua 250ª e última etapa correndo na Fórmula 1 neste final de semana, em Abu Dhabi.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!