Fórmula 1

Cotado na Mercedes, alemão é quem mais andou com pneus que estreiam em 2017

Mercedes Oficial
Imagem: Mercedes Oficial

Do UOL, em São Paulo

14/12/2016 06h00

O alemão Pascal Wehrlein, um dos principais candidatos a ocupar a vaga de Nico Rosberg na Mercedes na próxima temporada da Fórmula 1, está longe de ser um dos mais experientes do grid, mas tem um trunfo para convencer os chefes do time tricampeão do mundo: é, de longe, quem mais andou com os pneus que serão utilizados em 2017.

A Fórmula 1 passará por uma extensa revolução técnica na próxima temporada, com novos parâmetros aerodinâmicos, maior liberdade no desenvolvimento das unidades de potência e pneus 25% mais largos. Com esse conjunto, a expectativa é de que os carros fiquem até 5s mais rápidos por volta, dependendo da pista.

E ninguém vai começar o ano com mais experiência com os novos pneus do que Wehrlein. Por ser piloto de testes da Mercedes, além de titular da nanica Manor, equipe com a qual fez seu ano de estreia na F-1 em 2016, o alemão de 22 anos fez 3248km com os novos pneus. Quem chega mais perto Pierre Gasly, piloto de testes da Red Bull e atual campeão da GP2, com 2494km. Entre os titulares já confirmados para 2017, quem mais andou foi Kimi Raikkonen, da Ferrari, com 1054km.

Curiosamente, os números de Wehrlein são bastante altos porque o alemão assumiu o carro da Mercedes em duas oportunidades nas quais Lewis Hamilton deveria ter testado, sendo a última recentemente, em Abu Dhabi, quando o tricampeão se sentiu mal após apenas algumas voltas. Hamilton, inclusive, foi quem menos andou entre os 11 pilotos que testaram o novo pneu: fez apenas 50km.

Os testes foram realizados ao longo do segundo semestre ajudaram a Pirelli a desenvolver o novo pneu, que deve ser completamente diferente dos compostos utilizados desde que os italianos voltaram à Fórmula 1, em 2011. O desgaste deverá ser consideravelmente menor e as velocidades, maiores. Apenas Mercedes, Red Bull e Ferrari participaram dos testes.

Wehrlein foi apontado como herdeiro natural para a vaga de Rosberg, que surpreendeu ao anunciar a aposentadoria dias depois de ter conquistado o título de 2016. Porém, a Mercedes teme que o alemão ainda não esteja pronto para correr ao lado de Hamilton e disputar um campeonato de construtores que pode ser mais difícil para o time devido à mudança de regulamento.

Assim, o foco do time é tentar a liberação de Valtteri Bottas de uma de suas clientes, a Williams. Porém, caso isso não seja possível, o nome de Wehrlein voltaria a ter a preferência, uma vez que o piloto é um dos poucos que não tem contrato para o ano que vem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo