Fórmula 1

De promessa a esquecido: como a carreira de Nasr desandou em 12 meses

Lars Baron/Getty Images
Imagem: Lars Baron/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

17/01/2017 04h00

Enquanto Felipe Massa teve a volta confirmada pela Williams pouco tempo depois de ter anunciado a aposentadoria da Fórmula 1, o outro representante do Brasil na categoria nos últimos dois anos, Felipe Nasr, vive situação bastante complicada. A pouco mais de dois meses da abertura da temporada, a única equipe com vagas abertas é a Manor, que está em processo de insolvência e não tem quaisquer garantias de que estará no grid no GP da Austrália, em Melbourne.

O brasileiro chegou bem cotado à categoria em 2015, depois de ter disputado o título da GP2 com Jolyon Palmer, garantido na F-1 em 2017 pela Renault. Em sua primeira temporada completa, impressionou e terminou o ano com 27 pontos, contra apenas nove do companheiro Marcus Ericsson.

Com bons desempenhos na pista e um patrocínio forte do Banco do Brasil, parecia natural que Nasr fosse conseguindo vagas melhores no grid. Porém, a queda das performances da Sauber e do piloto, entraves em negociações e a piora do suporte financeiro de seus patrocinadores acabaram deixando-o em situação complicada e o UOL Esporte recapitula como isso aconteceu.

1º Capítulo: Chance perdida na Renault
A boa relação com Frederic Vasseur, na época chefe da Renault, abriu as portas para o piloto brasileiro no time francês. Porém, as negociações não avançaram como o esperado devido a problemas de garantias de patrocinadores e Palmer acabou ficando com a vaga ao lado de Nico Hulkenberg.

2º Capítulo: Aposta errada na Force India
Nasr contou com o lobby do promotor Bernie Ecclestone para ser contratado ao lado de Sergio Perez na equipe que foi quarta colocada no mundial de 2016. Afinal, com a saída de Massa, o britânico tentava garantir a permanência de um brasileiro no grid, pois trata-se de um mercado estratégico em seu entendimento. Porém, a influência de Ecclestone não tem sido a mesma no mercado de pilotos e prevaleceu a influência de Toto Wolff, chefe da Mercedes, que convenceu os clientes a apostar em Esteban Ocon.

3º Capítulo: Performances ruins na hora errada
Outro problema que atrapalhou nas negociações com a Force India foi a sequência ruim de Nasr em um momento importante do campeonato, em setembro e outubro. Mesmo que tenha tido problemas técnicos nesse período, sua imagem dentro do paddock ficou arranhada em um momento decisivo no mercado.

4º Capítulo: Clima tenso na Sauber
Com as portas fechadas em outras equipes, Nasr passou a elogiar bastante a Sauber, ainda que sua insatisfação por uma série de erros técnicos do time ao longo da temporada 2016 fosse clara. O estrago, no entanto, estava feito e o time suíço avisou ainda em novembro que as negociações estavam acabadas. Tanto, que ao anunciar o novo piloto, Pascal Wehrlein, o time sequer mencionou o trabalho do piloto brasileiro, que também acabou a temporada 2016 à frente do companheiro Ericsson, com dois pontos contra nenhum do sueco.

Além da Manor, Nasr tem chances de continuar na Fórmula 1 como piloto de testes. Sua porta de entrada na categoria, inclusive, foi pela Williams na função de terceiro piloto e o brasileiro deixou uma boa impressão por lá.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Redação
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo