Fórmula 1

Campeão da F1 pela Ferrari morria de medo da velocidade e usou até calmante

AP
Phil Hill, campeão mundial de Fórmula 1 em 1961 Imagem: AP

Do UOL, em São Paulo

29/01/2017 04h00

Imagine um piloto que morre de medo de velocidade e não tem certeza se deveria encarar autódromos e curvas dirigindo verdadeiras máquinas. Pois foi um norte-americano com esse perfil que, em 1961, tornou-se campeão mundial na Fórmula 1 e fez história. Phil Hill é o único piloto nascido nos Estados Unidos a conquistar o título da categoria. Mesmo odiando a velocidade em inúmeras oportunidades.

Uma frase resume bem quem foi Phil Hill. “A corrida traz as piores sensações para mim. Sem isso, não sei que tipo de pessoa eu teria me tornado, mas não tenho certeza que gosto da pessoa que sou hoje. A corrida faz com que eu me sinta egoísta e irritável”.

Sua relação com o automobilismo era de amor e ódio. Amor porque foi sua paixão pelos carros que, aos 12 anos, lhe abriu caminho para amenizar seu perfil totalmente introvertido, de poucas palavras, poucos amigos e muita gozação por parte de colegas. Uma tia o ensinou a dirigir e ele não parou mais.

Aos 20, comprou um automóvel e aplicou todo seu conhecimento para transformá-lo num carro de corrida. Começou até a competir. Quatro anos depois, com a morte de seus pais e a chegada de uma herança, investiu em uma Ferrari. Não demorou muito para se tornar um dos pilotos mais promissores e vitoriosos de sua geração nos Estados Unidos.

Mas havia um problema: seu crescente temor em relação à velocidade. Esse medo era tão grande que chegou a causar úlceras em Hill. Ele precisou ficar dez meses afastado das corridas. Para voltar, só com ajuda de calmantes, mostrando como o piloto alimentava uma relação de extremos com a velocidade.

Nos anos 1950, sua fama o levou à Europa. Uma vitória nas 24 Horas de Le Mans em 1958, dirigindo principalmente à noite em condições difíceis sobretudo por culpa da chuva, despertou a atenção da Ferrari. No mesmo ano, ele estreou pela equipe italiana na Fórmula 1, mas foi na temporada seguinte que ele se tornou piloto titular da escuderia.

A primeira vitória na categoria aconteceu em 1960, um ano antes de ele fazer história na categoria: tornou-se o até hoje único piloto nascido nos Estados Unidos a ser campeão da Fórmula 1 - Mario Andretti (campeão em 1978 como americano) nasceu na Itália - e foi o protagonista do primeiro título de construtores da Ferrari.

Hill ficou na Fórmula 1 até 1966, sempre mantendo-se ativo em outras categorias. Nas férias, passou a restaurar carros antigos, uma de suas paixões. Era quando o amor pela velocidade vencia o medo. “A tensão da inatividade é pior que a tensão de dirigir. Fui obrigado a correr novamente”, contou ele certa vez, em um duradouro desequilíbrio que o levou à glória no automobilismo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo