Topo

Fórmula 1

As ultrapassagens estão mais difíceis na F-1. E os pilotos estão adorando

Reprodução/TV Globo
Vettel chegou a se tocar com Ricciardo antes de conseguir a ultrapassagem Imagem: Reprodução/TV Globo

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Xangai (China)

11/04/2017 04h00

Depois do GP de abertura da temporada, na Austrália, ter apenas cinco ultrapassagens, vários pilotos pediram paciência aos torcedores antes de julgarem o novo regulamento da Fórmula 1, que aumentou a dependência aerodinâmica dos carros e, consequentemente, tornou as manobras mais difíceis. Afinal, o circuito de Albert Park sempre trouxe dificuldades para os pilotos, que esperavam uma melhora no cenário em pistas permanentes, como a da China, segunda corrida do ano.

E eles não poderiam ter saído mais empolgados após as disputas no traçado de Xangai. Foram 54 ultrapassagens, perto da média do ano passado, sendo que apenas 10 foram feitas com o uso do DRS, dispositivo que diminui a resistência ao ar nas retas e só pode ser usado para o piloto que está atrás em uma disputa, em áreas pré-determinadas da pista.

Para os pilotos, isso é positivo porque, agora, as manobras ficaram mais difíceis e dependem mais de sua perícia. Que o diga Max Verstappen, que superou nove carros apenas na primeira volta e chegou em terceiro depois de ter largado em 16º por um problema no motor na classificação.

“Dá para frear muito tarde. Na curva 6, passei Daniel [Ricciardo] e Bottas retardando bastante a freada. É um pouco mais difícil ultrapassar, mas a pista da China é boa para fazer manobras e eu gosto disso.”

As manobras do piloto da Red Bull foram bem a seu estilo, surpreendentes. Tanto, que quando perguntado pelo UOL Esporte, ainda na quinta-feira, se estava preparando algum plano para encontrar formas de ultrapassar com o novo regulamento, o piloto disse: “não penso em nada antes, decido na hora mesmo!”

Outro que saiu empolgado da corrida foi Sebastian Vettel. O alemão largou em segundo e caiu para quinto depois que a Ferrari fez uma aposta que acabou se mostrando errada na estratégia. Mas passou o companheiro Kimi Raikkonen, Daniel Ricciardo, da Red Bull, e o próprio Verstappen.

“Ultrapassar é difícil, mas acho que tem de ser assim. E não simplesmente colocar de lado e passar fácil. Foi difícil quando eu tinha dois carros na minha frente, porque você sempre corre o risco de bater em quem vai à frente quando arrisca para passar o primeiro carro. Então ali tive de ser paciente”, disse o alemão, ouvido pelo UOL Esporte em Xangai.

E não foram só as ultrapassagens em si que animaram o tetracampeão, contente também em não ter de economizar pneus para ir à caça de Lewis Hamilton, vencedor da prova, nas voltas finais. Mesmo não tendo ameaçado o inglês, Vettel disse ter se divertido bastante durante a corrida.

“Eu me diverti muito fazendo as ultrapassagens e também no final, quando pude forçar o timo para tentar chegar em Lewis. Acho que as corridas têm de ser assim.”

O próximo teste para o novo regulamento, em teoria, será mais difícil do que na China. O palco do GP do Bahrein é mais travado, mas também é esperada uma maior degradação dos pneus devido ao calor. Os treinos livres de sexta-feira estão marcados para as 8h e 12h pelo horário de Brasília. Já o terceiro treino livre será às 9h do sábado, pouco antes da classificação, que começa ao meio-dia, mesmo horário da corrida, no domingo.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!