Hamilton quebra regras dos novos donos da F-1 e tem de tirar vídeo do ar

Julianne Cerasoli

Do UOL

  • AFP PHOTO / Johannes EISELE

Não é de hoje que Lewis Hamilton testa os limites da permissão de uso da imagem da Fórmula 1 nas mídias sociais. Na era de Bernie Ecclestone no comando, por várias vezes o piloto foi obrigado a deletar vídeos e até fotos, como quando revelou detalhes da telemetria da Mercedes, em 2014.

Com a venda dos direitos comerciais da categoria para o grupo Liberty Media, foi anunciado que pilotos e equipes teriam mais liberdade em compartilhar conteúdo. Mas, de novo, foi Hamilton quem passou dos limites de acordo com os novos donos e novamente teve que apagar uma postagem.

No caso, trata-se de um vídeo de sua volta na classificação do GP da China. O problema seria que as imagens são de exclusividade das emissoras que pagaram pelos direitos de transmissão.

Assim que foi avisado, Hamilton retirou o vídeo de sua conta do Instagram.

"A Fórmula 1 anunciou uma série de novas regras para as mídias sociais, permitindo que equipes e pilotos filmem suas atividades para aproximar o esporte dos fãs", explicou por meio de comunicado o Liberty Media.

"No entanto, não queremos que os pilotos postem imagens que pertencem às emissoras internacionais, que ganharam esse direito ao se tornarem parceiros licenciados, muitas vezes de maneira exclusiva. Quando um erro destes for cometido, é solicitado a pilotos e equipes que retirem isso do ar."

O problema com o vídeo da pole não impediu que Hamilton abusasse das mídias sociais durante o GP do Bahrein, realizado na semana seguinte à prova chinesa. O inglês inclusive transmitiu ao vivo sua preparação para entrar no carro antes da corrida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos