Topo

Fórmula 1

Rússia pode ser palco de virada na F-1. Confira os 5 motivos para ver o GP

REUTERS/Maxim Shemetov
Hamilton ficou em segundo ano passado, após dobradinha da Mercedes Imagem: REUTERS/Maxim Shemetov

Julianne Cerasoli

Do UOL

26/04/2017 04h00

A Fórmula 1 chega à Rússia para a quarta etapa de um campeonato que vem sendo bastante disputado até aqui. Diferentemente dos últimos anos, a categoria tem visto um duelo apertado entre dois pilotos de equipes diferentes: Sebastian Vettel, da Ferrari, lidera a tabela com sete pontos de vantagem para Lewis Hamilton, da Mercedes.

Com outro tipo de pista e especialmente de clima, a etapa de Sochi promete ser bem distinta da última corrida, disputada no Bahrein, e, pelo menos no papel, é uma grande chance para Hamilton roubar a ponta do campeonato.

Confira os 5 motivos para não perder o GP da Rússia

1. Terreno perfeito para virada de Hamilton: O inglês está em segundo no campeonato, sete pontos atrás de Sebastian Vettel, mas tem tudo para reverter o quadro no GP da Rússia. A etapa foi dominada pela Mercedes desde que entrou no calendário, em 2014, tem longas retas, o que ajuda a salientar a força do motor alemão, e o asfalto bastante liso, causando menos degradação nos pneus. E tem sido justamente esse o ponto fraco da Mercedes no duelo direto com a Ferrari nesta temporada.

2. Frio inesperado pode bagunçar equipes: Com a onda de frio por que passa a Europa neste mês de Abril, as temperaturas em Sochi estão quase 10ºC abaixo do que o normal para o período e a máxima prevista para os próximos dias é de 18ºC, o que interfere muito no aquecimento dos pneus, algo que tem sido particularmente difícil para os times entenderem neste ano. Por outro lado, a boa notícia para as equipes é que a chuva que tem caído constantemente na região nos últimos dias deve cessar durante o final de semana.

Mark Thompson/Getty Images
Imagem: Mark Thompson/Getty Images

3. Teste para a Williams de Felipe Massa: Falando em frio, as lembranças não são boas para a Williams da última vez em que os termômetros despencaram, durante o GP da China. Sem conseguir aquecer os pneus, Felipe Massa perdeu várias posições no início da prova chinesa e terminou longe dos pontos. O time disse ter entendido o que aconteceu em Xangai e o desempenho em Sochi vai comprovar isso.

4. Red Bull promete encostar: O time de Max Verstappen e Daniel Ricciardo tem tido dificuldades especialmente com o acerto do carro, pois não consegue compreender por que às vezes o rendimento melhora ou piora dependendo da mudança feita. Depois de dois dias de testes no Bahrein, na semana passada, contudo, é esperado que isso tenha sido atenuado. Mas o grande salto só deve acontecer com as atualizações que chegarão em Barcelona, na quinta etapa.

Alexei Nikolsky/RIA Novosti/Kremlin /Reuters
Imagem: Alexei Nikolsky/RIA Novosti/Kremlin /Reuters

5. Vai ter Putin? A Rússia está no top 3 entre os GPs que mais pagam para receber a F-1, em um contrato que foi recentemente estendido até 2025. Mas o acordo original tem muito a ver com a relação entre Vladimir Putin e o ex-chefão da categoria, Bernie Ecclestone. O britânico já confirmou que estará em Sochi, mas não se sabe se o comandante russo prestigiará o evento, como fez nos anos anteriores.

O GP da Rússia terá classificação às 9h do sábado pelo horário de Brasília e a largada no mesmo horário, no domingo. As atividades começam com os treinos livres na sexta-feira, em duas sessões de 1h30 a partir das 5h e das 9h da manhã.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!