Topo

Fórmula 1

Custos elevados e 'jogo duro' de novos donos pode tirar Silverstone da F1

Valdrin Xhemaj/EFE
Imagem: Valdrin Xhemaj/EFE

Do UOL, em São Paulo

15/05/2017 17h18

Palco da primeira prova da história da Fórmula 1, o circuito de Silverstone pode deixar de receber o Grande Prêmio da Inglaterra. Pelo menos, segundo informações divulgadas pelo jornal britãnico Daily Mail no final de semana.

No último final de semana, o novo diretor-executivo da Formula One Management (FOM), Chase Carey, se encontrou com o presidente do Clube dos Pilotos Britânicos (BRDC, em inglês), John Grant – a entidade é justamente a dona do autódromo.

Segundo Grant, a reunião serviu para explicar a situação do Grande Prêmio da Inglaterra em Silverstone, palco da corrida de forma ininterrupta desde 1987. Com problemas para bancar os custos da prova, o BRDC já admite tirar Silverstone do calendário depois da temporada 2019, aproveitandou uma cláusula contratual.

Carey, porém, faz jogo duro. Disposto a ajudar a aumentar as receitas do local, o dirigente não pretende renegociar a quantia paga pelo circuito para estar na Fórmula 1 – com aumento de 5% ao ano, o total saltará de 12 milhões de libras (pouco mais de R$ 48 milhõs em valores atuais) para 26 milhões de libras (R$ 104,1 milhões) em 2027.

“Não vamos renegociar o contrato”, disse Carey ao jornal. “Damos valor a Silversone e queremos que a corrida seja um sucesso, então vamos trabalhar com eles para isso. Mas não vamos refazer acordos que foram previamente assinados de boa-fé entre as duas partes. Silverstone deu lucro no ano passado”, afirmou.

Grant deverá se reunir com o BRDC para discutir os rumos do acordo. Segundo ele, a entidade quer manter a corrida, “mas não se for nos matar”.

Palco da primeira prova da história da Fórmula 1, o circuito de Silverstone pode deixar de receber o Grande Prêmio da Inglaterra. Pelo menos, segundo informações divulgadas pelo jornal britãnico Daily Mail

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!