Fórmula 1

Análise: GP maluco é tudo o que a Ferrari não quer. E que Hamilton precisa

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Mônaco

27/05/2017 15h11

Há 21 anos, a Fórmula 1 assistiu a uma de suas provas mais malucas, em Mônaco, a única vencida por Olivier Panis, na qual apenas três carros cruzaram a linha de chegada. Isso aconteceu muito em função da chuva, que não está prevista para a corrida de amanhã, mas é tudo o que Lewis Hamilton está torcendo para acontecer. E as Ferrari não querem de jeito nenhum.

Afinal, o time italiano fechou a primeira fila pela segunda vez no ano, e desta vez com Kimi Raikkonen na frente, algo que não acontecia desde 2008. Apesar de reconhecer que a pole em Mônaco é um passo muito importante para a vitória, o finlandês teme que uma corrida maluca coloque tudo a perder.

“São muitas voltas e tenho que ser perfeito, muitas coisas podem acontecer, muitas coisas que estão fora do meu controle podem mudar o resultado. Nunca se sabe aqui, muitas coisas podem acontecer”, disse ao UOL Esporte.

Raikkonen superou pela primeira vez na temporada o companheiro Sebastian Vettel, mas há muitos no paddock que acreditam que a Ferrari vai trabalhar para que o alemão ganhe e some pontos importantes para o campeonato. O líder da temporada, com seis pontos de vantagem para Hamilton, se mostra confiante.

“Não tenho expectativas. Sei que podemos esperar uma boa corrida porque o carro está se comportando muito bem e não acho que temos de esconder isso. Mas é Mônaco e nunca se sabe o que pode acontecer. Obviamente, não estou contente com a classificação. Na corrida, vamos focar na largada e ver antes da primeira parada o que podemos fazer.”

A corrida em Mônaco é uma chance importante para Vettel porque seu rival Lewis Hamilton larga apenas em 13º após ter dificuldades com seu carro na classificação. Sabendo que a corrida deve ter apenas uma parada, limitando as possibilidades estratégicas, e que as ultrapassagens serão difíceis, resta a Hamilton apostar no imponderável de Mônaco.

“Não há muito que possa fazer. Vou tentar dar o máximo, mas saindo em 13º… ultrapassar vai ser arriscado e vou ter dificuldade de chegar nos 10 primeiros. Mas talvez a estratégia entre em jogo ou um Safety Car possa me ajudar.”

A situação é a mesma de Felipe Massa, que larga em 14º e sente que a Williams tem um ritmo de corrida melhor do que de classificação, mas não vê muitas possibilidades de pontuar em condições normais. “Aqui é uma parada só. Mas em Mônaco tudo pode acontecer, como um Safety Car e acidentes que podem mudar um pouco a situação da corrida.”

A largada para a sexta etapa do campeonato será neste domingo às 9h pelo horário de Brasília.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Topo