Fórmula 1

Mercado de pilotos está agitado, mas cenário é positivo para Massa ficar

Lars Baron/Getty Images
Felipe Massa deve ficar na Williams em 2018 Imagem: Lars Baron/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Spielberg (AUT)

07/07/2017 08h17

A chamada “temporada das bobagens”, com especulações sobre o mercado de pilotos da Fórmula 1, costuma começar na segunda metade do ano. Mas, nesta temporada, as conversas se anteciparam devido ao grande número de contratos que acabam em dezembro. Mercedes, Ferrari, McLaren, Williams, Force India… a lista de equipes que ainda estão indefinidas para 2018 é grande.

O cenário, no entanto, caminha para a renovação de Felipe Massa. O brasileiro se mostra muito tranquilo, enquanto a chefia da Williams demonstra estar contente com seu trabalho.

“Não tenho nenhuma pressa nesse momento. Acho que as coisas vêm acontecendo bem, estou muito bem com o regulamento novo. Se tudo continuar do jeito que está, não vejo motivo para não continuar”, disse o piloto ao UOL Esporte.

Perguntada sobre uma possível renovação de Massa, Claire Williams indicou que o trabalho do piloto vem agradando e não há motivos para uma troca.

“Não vejo por que não [renovar]. Ele tem feito um ótimo trabalho neste ano. Tivemos muita sorte dele ter decidido desistir de se aposentar - não deveria ter se aposentado, na verdade - para nos ajudar. E ele tem dado um ótimo retorno para nós, em vários níveis. Mas, para estar a F-1, o piloto precisa estar motivado e é ele quem precisa ver se ele ainda tem essa motivação. E pelo que ele tem mostrado, eu duvido que ele tenha perdido a motivação.”

O caso Alonso
Na Mercedes, Valtteri Bottas vem causando boa impressão e deve ter o contrato renovado, enquanto, na Ferrari, tanto Sebastian Vettel, quanto Kimi Raikkonen, não estão garantidos, o que gerou, inclusive, a especulação de que Fernando Alonso poderia retornar ao time italiano (inclusive, no lugar do próprio Vettel).

No entanto, perguntados na coletiva de imprensa em Spielberg se gostariam de ter o bicampeão como companheiro, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel deixaram claro que, se tiverem sua opinião ouvida por seus times, barrariam o espanhol. “Estou feliz com meu atual companheiro”, responderam ambos.

Questionado pelo UOL Esporte se havia qualquer possibilidade de voltar a ser companheiro de Hamilton ou de pilotar com Vettel na Ferrari ano que vem, Alonso limitou-se a dizer “eu não sei” e reiterou que vai esperar alguns meses para tomar uma decisão.

“Qualquer decisão que eu tomar sobre o futuro é em cima disso (vencer corridas no ano que vem). Se você me pergunta se eu vou ficar na F-1, se vou sair, digo que vou falar em outubro. Não posso repetir a mesma coisa toda semana, em outubro tomarei uma decisão. Com certeza, meus torcedores precisam saber que qualquer decisão que eu tomar, não será para brigar para terminar em décimo ou oitavo lugar. Veremos em outubro.”

Outro piloto que tem as rédeas do mercado é o também espanhol Carlos Sainz. O piloto já deixou claro que não pretende ficar por uma quarta temporada na Toro Rosso e, como Daniel Ricciardo e Max Verstappen estão sob contrato na Red Bull, acredita que chegou a hora de sair do programa da empresa austríaca.

“Não sei, ainda é muito cedo para falar sobre o que vai acontecer no ano que vem. Meu objetivo número um é chegar à equipe principal da Red Bull para lutar por pódios e vitórias, mas se a porta está fechada, precisa ver o que fazer. Manterei minhas portas abertas e me concentrar no que estou fazendo neste ano, que é o mais importante.”

Isso, mesmo com Christian Horner declarando que o espanhol tem um contrato em vigor e permanecerá na Toro Rosso. "Não sei onde ele acha que estará. Os contratos são claros". Porém, o staff de Sainz não descarta pagar para cancelar o acordo atual.

A grande aposta de Sainz seria uma ida à Renault, no lugar de Jolyon Palmer, que vem sendo duramente criticado pelos chefes da equipe. Uma definição no time francês, que tem Nico Hulkenberg sob contrato, contudo, deve demorar, uma vez que Robert Kubica está fazendo um programa de testes para compreender se tem capacidade física de voltar à F-1 e é um piloto muito respeitado pelos engenheiros do time, que devem pressionar para que os chefes esperem para tomar uma decisão.

As especulações não param por aí. Esteban Ocon tem contrato com a Mercedes, e não com a Force India, e poderia trocar de equipe. Seu companheiro Sergio Perez também sempre deixou claro que quer correr por um time mais forte, mas pesa contra o mexicano a má reputação que ganhou no paddock. A situação é parecida com a de Romain Grosjean, ainda que sua aposta ao ir para a Haas era tentar uma vaga na parceira Ferrari, o que está distante de ocorrer. Todos estão de olho nos movimentos de Alonso, que só deve ficar na McLaren se o time romper com a Honda, e Sainz.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Blog do Carsughi
Blog do Carsughi
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Topo