Topo

Fórmula 1

Pela quarta vez em dez anos, dirigente sérvio tenta inscrever equipe na F-1

Mark Thompson/Getty Images
Depois de tentar vagas para 2010, 2011 e 2015, Zoran Stefanovic aposta suas fichas para temporada 2019 Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

10/07/2017 16h00

Zoran Stefanovic está de volta. Depois de tentar inscrever sua equipe, a Stefan GP, em três temporadas da Fórmula 1, o empresário sérvio está disposto a colocar uma nova escuderia na categoria. A meta, desta vez, é para 2019.

De acordo com o site da revista Autosport, Stefanovic se encontrou neste final de semana com Ross Brawn, diretor-esportivo da Formula One Management (FOM). Durante o bate-papo na Áustria, o dirigente balcânico confessou que segue firme com os planos de criar uma nova equipe de F-1.

“Estou criando uma equipe de Fórmula 1 com sede na Itália”, disse Stefanovic ao site. Segundo o empresário, o time já tem acordo para utilizar um túnel de vento a uma “distãncia razoável” da cidade de Parma, onde a escuderia terá sede. Além disso, já assinou contrato “com um especialista em aerodinâmica para ajudar no projeto”.

O especialista contratado, ainda de acordo com o veículo, seria o engenheiro Enrique Scalabroni. O argentino já trabalho em equipes como Williams, Ferrari e Lotus entre as décadas de 1980 e 1990. Desde então, passou por outras categorias, esboçando um retorno à F-1 no final da década de 1990 com o projeto Asiatech, que nunca saiu no papel como escuderia.

Tentativas anteriores

A equipe seria a quarta tentativa de Zoran Stefanovic envolvendo uma equipe de Fórmula 1. Em setembro de 2009, o dirigente anunciou planos de entrar na categoria em 2010, embora não participasse do processo seletivo de entrada que aprovou as chegadas de Lotus, Manor (posteriormente Virgin), Campos Meta (que viria a se chamar Hispania) e USF1.

Diante da desistência da USF1 em março de 2010, Stefanovic propôs uma fusão com o time dos EUA – sem sucesso. O dirigente ainda tentou levar sua equipe com dois carros (modelos TF110 comprados da Toyota) ao GP do Bahrein que abriu a temporada 2010, mas o time não foi aceito.

Depois disso, a Stefan GP tentou entrar na Fórmula em novos processos licitatórios que a Fórmula 1 abriria para 2011 e 2015. Nenhum dos times inscritos, porém, foi aprovado – a Haas, que conquistou sua vaga em 2014 sem o mesmo processo, estreou apenas em 2016.

Vaga incerta para novatas

A presença do time de Zoran Stefanovic – que ainda não adiantou se manterá o nome Stefan GP – na temporada 2019 da Fórmula 1 é incerta, uma vez que ainda não há garantias de que a categoria máxima do automobilismo mundial abrirá vagas para novas equipes nos próximos dois anos.

“Quando sentirmos que é o momento, faremos uma oferta aos interessados”, disse o presidente da FIA, Jean Todt, em declarações de junho, segundo o site da Autosport.

As portas, porém, não estão fechadas. “No momento, temos dez equipes, e a ideia é termos até 12 equipes. Então, se tivermos uma oportunidade, se tivermos um ou dois fortes interessados, é uma possibilidade”, acrescentou Todt.

A possibilidade surge ao mesmo tempo em que rumores de outra nova equipe circulam no paddock. Com financiamento chinês, a China F1 Racing – como vem sendo chamada pela imprensa europeia – teria base em Oxfordshire, na Inglaterra, e seria formada por ex-membros da Manor, que faliu no fim de 2016.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!