Fórmula 1

GP da Inglaterra quebra contrato com a F-1, mas inicia novas negociações

McLaren/Oficial
Silverstone recebe a etapa deste final de semana da F-1 Imagem: McLaren/Oficial

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

11/07/2017 10h58

O BRDC, clube que controla o circuito de Silverstone, anunciou nesta terça-feira na Inglaterra a quebra do atual contrato para receber a Fórmula 1. O acordo, que durava até 2026, agora passa a valer apenas até 2019. A expectativa dos organizadores, no entanto, é negociar um novo contrato mais vantajoso com os novos donos da categoria.

O acordo atual foi feito em 2010, nos tempos em que Bernie Ecclestone controlava a Fórmula 1, e contém um aumento anual na taxa para que Silverstone sedie o GP britânico. Assim, no primeiro ano de contrato, tal taxa era de 48 milhões de reais. Atualmente, paga-se mais de 67 milhões e, no final do contrato, a cifra chegaria a 105 milhões de reais.

Entendendo que não poderia arcar com os custos, o BRDC decidiu ativar a cláusula de quebra de contrato no último dia em que isso seria possível. Mas isso não significa o fim do GP da Inglaterra em Silverstone.

 

"Esta decisão foi tomada porque não é financeiramente viável para nós promover o GP da Inglaterra sob os atuais termos do contrato", explicou o presidente da BRDC, John Grant. "Tivemos prejuízo de 20 milhões de reais ano passado e esperamos algo parecido neste ano. Chegamos a um ponto em que não podemos mais deixar nossa paixão pelo esporte controlar nossas mentes."

"Queria deixar claro que, mesmo que tenhamos ativado essa cláusula, estamos apoiando totalmente as mudanças que o Liberty Media está fazendo para melhorar a F-1. Nossa esperança é que possamos chegar a um acordo para que possamos ter um futuro viável e sustentável para o GP da Inglaterra em Silverstone nos próximos anos."

Vários organizadores de GPs têm aproveitado as novas políticas do grupo Liberty Media para rever seus contratos. Uma das novas diretrizes é não prever mais em contrato o aumento anual das taxas cobradas para sediar os GPs.  

O fato do anúncio ter sido feito dias antes do GP da Inglaterra, no entanto, não foi bem recebido pelos novos donos da F-1 que, em comunicado oficial, declararam que "a semana que antecede a prova deveria ser de celebração, e lamentamos muito que Silverstone tenha escolhido esta data para se posicionar e ativar sua cláusula de quebra de contrato."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
UOL Esporte
Grande Prêmio
Topo