Topo

Fórmula 1

"Triste" para uns, necessário para outros: pilotos se dividem sobre o halo

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Budapeste (HUN)

27/07/2017 14h02

Para Romain Grosjean, da Haas, a decisão da Federação Internacional de Automobilismo de introduzir o halo na próxima temporada, foi algo “triste para o esporte”. Já Daniil Kvyat, da Toro Rosso, disparou: “pode publicar, é uma merda!”. Outro que não gostou nada da decisão foi Kevin Magnussen, também da Haas, para quem a peça, que serve para aumentar a segurança na região da cabeça dos pilotos, tira parte da magia da F-1.

“Nao vejo a necessidade de aumentar a segurança. Deve haver um limite para que não fique chato. Lógico que é trágico quando algo acontece, mas faz parte e inclusive é um dos motivos que me fizeram querer estar aqui quando eu era criança. É muito recompensador quando você arrisca a vida e tem um bom resultado.”

Sebastian Vettel, por outro lado, não tem o mesmo ponto de vista. Perguntado se o halo faria com que crianças perdessem a fantasia de se arriscar em um F-1, o alemão disse que “não importa se você tem 5 ou 100 anos, nunca vai querer ver alguém morrer.”

O piloto da Ferrari se colocou, junto de outros nomes de peso da F-1, como Fernando Alonso e Daniel Ricciardo, a favor da introdução do halo. Já Felipe Massa pediu mais testes, mas também se mostrou favorável.

“Sabíamos que algo iria entrar para o ano que vem, até porque eles já tinham adiando. Depois que eles testaram o escudo e o Vettel não aprovou, a única coisa que ficou na mesa foi o halo. Lógico que os pilotos precisam usar para ver se não tem nenhum problema até relacionado à segurança. Mas sou favorável a tudo que torne o carro mais seguro. Temos que arriscar o máximo que podemos, mas os carros têm de ser seguros para qualquer eventualidade que possa acontecer. Tem muita coisa que ainda precisamos entender, mas se isso estiver vindo para a nossa segurança, então é positivo.”

Lewis Hamilton foi outro campeão do mundo que se colocou a favor do halo. Porém, o inglês pede que a FIA encontre algum tipo de solução para o aumento do peso do carro decorrente da introdução da peça, que pesa cerca de 8kg.

“Quando nos mostraram que o halo pode diminuir em 17% a chance de colisão na cabeça, é algo que não dá para ignorar. Mas os carros já são muito pesados, então espero que eles consigam diminuir o peso para que possamos pará-lo. E também acho que deveriam colocar todos os carros de uma vez na pista para ver como será. Mas, no geral, é uma loucura que a parte mais preciosa do nosso corpo continue exposta.”

Quem também citou a questão do peso foi o companheiro de Hamilton, Valtteri Bottas.

“É algo que pode salvar vidas e é isso que importa. Foi o que fez mais efeito até agora, mas pode mudar no futuro, pois ninguém gosta muito do visual. Não queremos que ninguém morra, mas carros de Fórmula 1 também devem ser bonitos. O ponto negativo é o aumento de peso, que vem crescendo cada vez mais.”

A FIA explicou nesta quinta-feira em Budapeste, onde a categoria realiza o GP da Hungria neste final de semana, que as equipes poderão testar o halo nas 10 corridas restantes da temporada.