Topo

Fórmula 1

Sem brasileiros, testes reúnem jovens promessas. Mas o foco é Kubica

Clive Mason/Getty Images
Charles Leclerc é piloto do programa de desenvolvimento da Ferrari Imagem: Clive Mason/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

01/08/2017 04h00

A Fórmula 1 promove entre esta terça e quarta-feira uma das raras oportunidades de jovens pilotos andarem em carros atuais, em sessões de testes que serão realizadas no circuito de Hungaroring. Será uma chance, também, da Renault avaliar a condição física de Robert Kubica, polonês de 32 anos e que desde 2011 está afastado dos carros de fórmula devido a um acidente de rali, e que tenta retornar à categoria ainda neste ano.

Kubica, considerado um dos grandes talentos de sua geração, está de olho na vaga de Jolyon Palmer na Renault. As performances do inglês não vêm agradando e ele pode perder a vaga ainda antes da próxima prova, que será realizada dia 27 de agosto na Bélgica. Enquanto isso, Kubica já realizou dois testes com a equipe nas últimas semanas, mas, na Hungria, andará pela primeira vez com o carro deste ano e em um circuito mais travado.

@RenaultSportF1/Twitter
Imagem: @RenaultSportF1/Twitter
Para Alonso, isso pode facilitar a vida do polonês. Mas também vai cobrar mais confiança dele.

“[O carro atual] é mais rápido e de certa forma mais fácil de pilotar, porque você tem menos trabalho dentro do cockpit. Mas por outro lado você precisa de mais confiança, porque pode colocar mais velocidade nas curvas e precisa confiar que o carro vai responder bem”, explicou ao UOL Esporte. “Provavelmente haverá muita pressão em cima dele, porque há muita atenção da mídia, mas o importante é que ele se divirta. Andar bem ele vai porque é muito talentoso.”

Outro fator, levantado por Hulkenberg, é a condição da pista, que estará bastante emborrachada devido à disputa do GP ao longo do final de semana e da expectativa de que não choverá nos próximos dias em Budapeste. “Isso vai fazer com que a pista esteja muito mais veloz, então será um grande teste para ele.”

Jovens promessas
O polonês é a grande atração do teste, mas vários pilotos que fazem parte de programas de desenvolvimento de times grandes também ganharão uma chance: o principal destaque entre eles é Charles Leclerc, da Ferrari, que vem dominando a F-2 em seu campeonato de estreia e é inclusive cotado para estar na F-1 ano que vem, na Sauber.

Quem também pode estar no grid em 2018 é Pierre Gasly, substituto direto caso Carlos Sainz ou Daniil Kvyat não continuem na Toro Rosso por fazer parte do programa da Red Bull. O francês atualmente disputa a Super Fórmula, no Japão, depois de ter sido campeão da GP2 (antigo nome da F-2) ano passado.

Outros pilotos apoiados por grandes equipes e que estarão no teste são Lando Norris, do programa da McLaren e atualmente terceiro na F-3 Europeia, e George Russell, da Mercedes, que está na GP3. Já a Williams promoverá a estreia de Luca Ghiotto em um carro de F-1

As demais equipes optaram por pilotos que também trazem apoio financeiro. A maioria faz parte do grid da F-2, pelo menos em teoria a principal categoria de acesso.

Na Force India, testam o russo Nikita Mazepin e o austríaco Lucas Auer, sobrinho de Gerhard Berger e que tem a carreira administrada pela mesma equipe de Nico Rosberg. Na Toro Rosso, o indonésio Sean Gelael vai tentar, enquanto na Haas o escolhido foi o norte-americano Santino Ferrucci. Já a Sauber terá o sueco Gustav Malja e o japonês Nobuharu Matsushita. Vencedor de uma das corridas da F-2 no último final de semana, Matsushita conseguiu o teste por intermédio da Honda, algo que será mantido mesmo com o anúncio de que a parceira entre a equipe e a fabricante foi cancelado.

Sem brasileiros
Felipe Massa estava escalado para testar em Budapeste, mas desistiu por conta das vertigens que sentiu nos treinos livres para o GP da Hungria, que o tiraram da prova. O brasileiro voltou ainda no final de semana para sua casa em Mônaco. A grande maioria dos pilotos selecionados corre na F-2, GP3 e Fórmula 3 Europeia. Nestas categorias, o Brasil é representado por Sergio Sette Camara, que chegou a fazer parte do programa da Red Bull e já testou com um F-1, mas hoje não tem ligação com nenhuma equipe da categoria, Bruno Baptista, que faz seu ano de estreia na GP3, e Pedro Piquet, que é apenas o 14º colocado na F-3 Europeia.

Quem são os pilotos jovens no teste de Budapeste:

Mercedes: George Russell
Ferrari: Charles Leclerc
Red Bull: Pierre Gasly
Force India: Nikita Mazepin e Lucas Auer
Renault: Nicolas Lafiti
Williams: Luca Ghiotto
McLaren: Lando Norris
Toro Rosso: Sean Gelael
Haas: Santino Ferrucci
Sauber: Gustav Malja e Nobuharu Matsushita

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!