Fórmula 1

Vettel celebra férias como líder. E sabe que costuma crescer no 2º semestre

AP Photo/Darko Bandic
Sebastian Vettel comemora a vitória no GP da Hungria de Fórmula 1 Imagem: AP Photo/Darko Bandic

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

04/08/2017 04h00

A história é a mesma em todos os quatro títulos conquistados por Sebastian Vettel: sua segunda parte do campeonato é melhor do que a primeira. Bem melhor. Foi assim que ele conquistou o campeonato de 2010, tornando-se líder pela primeira vez apenas ao final da última prova. Em 2011, o domínio foi total ao longo de todo o ano, mas mesmo com o título assegurado por antecipação, o alemão não tirou o pé.

Mas foi em 2012 e 2013 que essa tendência se mostrou mais decisiva. Quando entrou nas tradicionais férias de agosto da F-1 em 2012, Vettel era o terceiro colocado, a 38 pontos do líder Fernando Alonso. Venceu quatro das nove provas seguintes e venceu por uma vantagem de três. No ano seguinte, vinha em uma batalha equilibrada novamente com o espanhol, então na Ferrari, e com a surpresa Kimi Raikkonen, da Lotus, mas liquidou a fatura ao vencer todas as nove provas realizadas após o GP da Hungria.

O alemão, que saiu de Hungaroring com 14 pontos de vantagem para Lewis Hamilton e vem se mantendo na liderança do campeonato desde a primeira etapa, embora tenha visto sua margem flutuar bastante nas 11 etapas disputadas até aqui, indo de 25 a apenas um ponto, não vê uma explicação lógica para essa melhora na segunda parte do ano.

“Não sei explicar. Sou um cara um pouco supersticioso, mas não muito nessa parte”, garantiu o piloto, que não se empolga muito, nem com a vantagem, nem com as estatísticas. “Estar 14 pontos na frente é sempre melhor do que estar 14 pontos atrás, mas somos ambiciosos e sempre queremos um pouco mais.”

Para isso, Vettel sublinha a importância da Ferrari manter o bom desenvolvimento do carro. O time sofreu um golpe quando foi obrigado a alterar seu assoalho por determinação da FIA antes do GP da Áustria, mas estreou um novo design em Budapeste que parece ter funcionado bem, dando esperança para Vettel depois de dois meses sem vitórias entre os GPs de Mônaco e da Hungria.

“Acho que o time está indo na direção correta. Fico feliz de fazer a parada agora, mas também quero voltar logo a correr.”

Vettel, contudo, terá de esperar algumas semanas até voltar à pista: a próxima etapa é o GP da Bélgica, dia 27 de agosto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Topo