Fórmula 1

Mulher mais próxima da F-1, Calderón ainda precisa de adaptações no carro

Divulgação/Sauber
Tatiana Calderon é a nova piloto de desenvolvimento da Sauber Imagem: Divulgação/Sauber

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

11/08/2017 05h07

Ela é a mulher mais próxima de correr na Fórmula 1 atualmente e é tida como a piloto mais veloz desde Simona de Silvestro a estar nesta posição. Mas ao mesmo tempo Tatiana Calderón tem um longo caminho a percorrer. Diferentemente de Silvestro, que chegou a andar com os pesados carros da F-Indy, competiu na F-E e hoje está no turismo, a colombiana, que é piloto de desenvolvimento da Sauber, ainda tem dificuldades físicas com o carro da GP3.

O equipamento tem velocidade máxima de 300km/h, motor V6 3.4l de 400 cavalos e recebe força G nas curvas de até 2.6. Bem diferente dos carros de F-1, que chegam perto de 1000cv e 380km/h, com forças laterais que podem superar 6G. E isso a piloto de pouco mais de 1,60m e 57kg ainda não consegue suportar, como explica seu companheiro na categoria de acesso, o brasileiro Bruno Baptista.

“Acho que ela é uma boa piloto - para mim, todos os pilotos que estão na GP3 hoje podem chegar na F-1, basta estar no lugar certo e na hora certa. A F-1 procura uma mulher e, para mim, ela é quem está mais próxima e, entre aquelas que estiveram por perto, ela é disparadamente a melhor. Mas ela precisa trabalhar muito ainda”, afirmou o piloto ao UOL Esporte.

“Ela tem muita dificuldade na GP3 fisicamente. O carro dela é totalmente diferente. O freio é mais mole, a direção é muito mais leve. Então ela precisa trabalhar porque, na F-1, que é um salto muito grande, não vão fazer essas mudanças para ela.”

As limitações físicas, contudo, não impediram Calderón de ser escolhida para o programa de desenvolvimento da Sauber, onde vem trabalhando no simulador e trocando informações com os engenheiros.

Para dar o passo seguinte, contudo, a colombiana de 24 anos reconhece a dificuldade. “Mas não acho que seja algo que me limita, simplesmente tenho de treinar mais. E também pode ser uma vantagem, porque é melhor desenhar um carro para mim, pois tenho 1,63m, do que para alguém de 1,80m. E sempre li que as mulheres lidam melhor com as forças G.”

Com esta mentalidade, Calderón tem como objetivo para a temporada estar fisicamente apta a testar pela primeira vez um Fórmula 1 na sessão coletiva que será realizada após o GP de Abu Dhabi, no início de dezembro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo