Fórmula 1

Com disputa apertada, F-1 começa volta ao mundo em menos de três meses

Vladimir Rys/Getty Images
Detalhe de material da Red Bull enviado via navio para o GP do Brasil Imagem: Vladimir Rys/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Cingapura (CIN)

13/09/2017 04h00

A Fórmula 1 vive seu mundial mais disputado desde 2012, com Lewis Hamilton e Sebastian Vettel divididos por apenas três pontos após 13 etapas, e Valtteri Bottas também se mantendo perto da liderança. Mas a partir de agora, o campeonato não fica apenas disputado, como também extenuante: do GP da Itália, realizado há cerca de 10 dias, ao GP de Abu Dhabi, que encerra a temporada no final de novembro, serão 48.409 km rodados pelo globo, mais do que a Linha do Equador, que tem 40.075km.

As etapas mais distantes entre si são as duas últimas: São Paulo e Abu Dhabi estão divididas por mais de 12 mil quilômetros. Além disso, nas sete etapas que restam, a F-1 estará trabalhando em sete fusos horários diferentes, sendo que a maior mudança será do Japão para Austin, nos Estados Unidos, indo de 9h a mais em relação a Greenwich a menos 6h.

Isso não apenas é um desafio para todos os profissionais que trabalham na categoria, especialmente os mecânicos, que também são responsáveis pela montagem e empacotamento do material de prova a prova, sendo os primeiros a chegar e os últimos a sair, como também é um enorme desafio de logística.

O material é dividido: cada equipe tem cinco fretes marítimos, e cada um deles vai para Cingapura, Malásia, Japão, EUA e México. Para as duas últimas etapas, a carga que foi enviada para Cingapura vai para o Brasil, e a da Malásia fecha a temporada em Abu Dhabi. Nestas cargas, estão o material interno dos motorhomes e da montagem das garagens.

Já os equipamentos de corrida em si, além do material usado para a transmissão de imagens, que é sempre realizada pela FOM, empresa que detém os direitos comerciais da F-1,, são transportados por sete aviões 747, em um fretamento que é organizado por toda a temporada justamente pela empresa.

Isso quer dizer que muitos profissionais já estão há dias trabalhando para a etapa deste final de semana, em Cingapura: a carga aérea e marítima já chegou no último sábado, e começou a ser montada pela equipes no domingo. As primeiras atividades, contudo, serão realizadas apenas nesta quinta-feira, quando a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) checa a legalidade dos carros e os pilotos têm compromissos com a imprensa.

Confira os horários do GP de Cingapura
Sexta-feira
Treino Livre 1   das 7h às 8h30
Treino Livre 2   10h30 ao meio-dia

Sábado
Treino Livre 3   das 7h  às 8h
Classificação das 10h às 11h

Domingo
Corrida 9h
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo