Fórmula 1

Massa dá nota '8 ou 9' para carreira na F-1 e elege melhor rival e chefe

AP Photo/Luca Bruno
Felipe Massa tira o capacete nos boxes após o GP de Abu Dhabi Imagem: AP Photo/Luca Bruno

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

01/12/2017 04h00

Foram 11 vitórias, 16 poles positions e 41 pódios em 269 largadas e 16 temporadas na Fórmula 1. E muitos altos e baixos também: da demissão logo após o primeiro ano, na Sauber, passando pelos anos de ouro na Ferrari ganhando corridas mesmo tendo companheiros fortes como Michael Schumacher e Kimi Raikkonen, pelo acidente em 2009 e pelas temporadas difíceis ao lado de Fernando Alonso na Scuderia, até o renascimento na Williams - com direito a um ano de “bônus” depois de ser chamado de volta por seu time após anunciar a primeira aposentadoria. No final das contas, Felipe Massa fez uma análise positiva em entrevista exclusiva ao UOL Esporte. E se deu uma nota alta.

“Acho que é difícil você se dar uma nota. Para falar a verdade, eu me daria uma nota alta por tudo aquilo que eu passei, por todos os momentos difíceis por cima dos quais eu consegui passar, tantas vitórias que eu tive. E também por quem eu fui como profissional. Então daria nota alta, entre 8 e 9.”

Em sua carreira, Massa correu em equipes lideradas por chefes clássicos na Fórmula 1, e alguns deles conhecidos pelo temperamento forte. O brasileiro começou na Sauber, onde tinha Peter Sauber no comando. Depois foi para a Ferrari de Jean Todt, até que o francês saiu do time, que passou a ser comandado por Stefano Domenicali. Na Williams, passou a trabalhar com Frank Williams e com sua filha, Claire.

Mas qual foi o melhor chefe que ele teve na F-1? Para Massa, é uma pergunta que ele nem precisa pensar para responder.

“Jean Todt, fácil. Acho que pelo talento dele, a dedicação que ele tem, o quão profissional e organizado ele é. Destaco a maneira dele trabalhar com as pessoas e de cobrar o melhor delas. É difícil achar uma pessoa igual a ele.”

Perguntado qual o piloto mais forte com quem correu, por outro lado, Massa não tem uma resposta tão clara.

“Pode ser dois?”, questionou. “Acho que o Michael Schumacher e o Fernando Alonso. Lógico que não posso esquecer do Lewis Hamilton, que não fica devendo em nada para estes dois, mas a diferença é que não corri ao lado dele.”

Massa se despediu da Fórmula 1 com um décimo lugar no GP de Abu Dhabi. O piloto ainda não anunciou o que fará no futuro, mas deve acumular o papel de comentarista na TV internacional com uma função no Conselho Mundial, que tem de passar por votação e ainda não está definida. Além disso, ele deve disputar a Fórmula E a partir do final de 2018.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Grande Prêmio
Redação
Redação
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Blog do Carsughi
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Grande Prêmio
Topo